Com Temer, investimento público do Brasil regride 15 anos

O golpe que destituiu Dilma Rousseff colocou o Brasil na rota do atraso; para tentar cumprir a meta de deficit fiscal, de R$ 139 bilhões, em um cenário de arrecadações em queda, o governo de Michel temer optou por sacrificar o investimento público, que terá em 2017 o menor patamar nos últimos 15 anos; a taxa em proporção do PIB deve fechar abaixo de 2003, quando atingiu 0,3% do PIB, segundo levantamentos do Ipea e do pesquisador do Ibre/FGV Manoel Pires: o setor de infraestrutura tem sido o mais afetado por cortes; faltam recursos para terminar obras como a como a ponte sobre o rio Guaíba (RS) e a transposição do rio São Francisco

investimento
investimento (Foto: Giuliana Miranda)

247 - O investimento público federal é hoje o retrato da deterioração fiscal brasileira.

Com arrecadação fraca e um Orçamento engessado, o governo foi obrigado a jogar o investimento —principal alvo dos cortes de gastos— no chão. Em todo o País, obras importantes de infraestrutura estão paradas por falta de recursos.

Diante disso, o Brasil caminha para fechar 2017 com a pior taxa de investimento dos últimos 15 anos.

Segundo levantamentos feitos por técnicos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo pesquisador do Ibre/FGV Manoel Pires, nesse período a taxa de investimento governo federal atingiu seu nível mis baixo, de 0,3% do Produto Interno Bruto (PIB), em 2003.

Ou seja: co Michel temer no poder, o Brasil regrediu 15 anos. 

As informações são de reportagem de Martha Beck, Manoel Ventura e Geralda Doca em O Globo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247