Começa processo de sucateamento da Petrobras

A indústria brasileira de petróleo e gás natural vive o seu primeiro ciclo de desmonte, em que plataformas são retiradas do mar e transformadas em sucata, informa reportagem de O Estado de S.Paulo. O novo ciclo inaugura uma frente de negócios no País, que deve movimentar R$ 50 bilhões de 2020 a 2040, de acordo com as projeções da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

(Foto: REUTERS/Bruno Domingos)

247 - A indústria brasileira de petróleo e gás natural vive  o seu primeiro ciclo de desmonte, em que plataformas são retiradas do mar e transformadas em sucata, informa reportagem de O Estado de S.Paulo

O novo ciclo inaugura uma frente de negócios no País, que deve movimentar R$ 50 bilhões de 2020 a 2040, de acordo com as projeções da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). 

A reportagem destaca as ameaças ao meio ambiente: "A nova atividade é cercada de riscos ao meio ambiente, inclusive de contaminação do mar com material radioativo, e também à segurança dos trabalhadores".   

Pelas contas da agência reguladora, cerca de cem plataformas devem ser desmontadas nos próximos 20 anos, a maior parte da Petrobrás. Em média, a vida útil de uma instalação do tipo é de 25 anos. No Brasil, há 66 nessa condição. 

Outras 23 estão se aproximando dessa idade e, em breve, também devem ser desmobilizadas. Há, portanto, 89 unidades candidatas ao desmonte, segundo a ANP.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247