Consumo das famílias e estoques impulsionam PIB da zona do euro

A alta dos estoques e os maiores gastos das famílias impulsionaram o crescimento econômico da zona do euro no terceiro trimestre, compensando o impacto negativo do comércio; segundo dados da agência de estatística da União Europeia (Eurostat), o crescimento econômico nos 19 países da zona do euro foi de 0,3% por cento na comparação trimestral entre julho e setembro e de 1,6% na comparação anual

A alta dos estoques e os maiores gastos das famílias impulsionaram o crescimento econômico da zona do euro no terceiro trimestre, compensando o impacto negativo do comércio; segundo dados da agência de estatística da União Europeia (Eurostat), o crescimento econômico nos 19 países da zona do euro foi de 0,3% por cento na comparação trimestral entre julho e setembro e de 1,6% na comparação anual
A alta dos estoques e os maiores gastos das famílias impulsionaram o crescimento econômico da zona do euro no terceiro trimestre, compensando o impacto negativo do comércio; segundo dados da agência de estatística da União Europeia (Eurostat), o crescimento econômico nos 19 países da zona do euro foi de 0,3% por cento na comparação trimestral entre julho e setembro e de 1,6% na comparação anual (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - A alta dos estoques e os maiores gastos das famílias foram as principais forças motrizes por trás do crescimento econômico da zona do euro no terceiro trimestre, compensando o impacto negativo do comércio, mostraram os dados finais da agência de estatística da União Europeia (Eurostat).

A Eurostat confirmou nesta terça-feira que o crescimento econômico nos 19 países que compartilham o euro foi de 0,3 por cento na comparação trimestral entre julho e setembro e de 1,6 por cento na comparação anual, como anteriormente estimado e esperado pelos mercados.

Nos três meses anteriores, a economia havia crescido 0,4 por cento na base trimestral e 1,6 por cento em termos anuais.

O consumo das famílias acrescentou 0,2 ponto percentual ao resultado final do terceiro trimestre e os estoques, outro 0,2 ponto percentual. Os gastos do governo também ajudaram com 0,1 ponto percentual, mas o comércio internacional subtraiu 0,3 ponto percentual, com as importações crescendo muito mais do que a das exportações.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247