CVM condena Eike a pagar multa de R$ 536 mi por informação privilegiada

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) condenou no empresário Eike Batista a pagar uma multa de R$ 536 milhões pelo uso de informações privilegiadas) ao negociar ações da petroleira OGX de posse de informação privilegiada. Ele também está proibido por sete anos de atuar como administrador de companhia aberta ou no conselho fiscal

CVM condena Eike a pagar multa de R$ 536 mi por informação privilegiada
CVM condena Eike a pagar multa de R$ 536 mi por informação privilegiada
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) condenou nesta segunda-feira (27) o empresário Eike Batista a pagar uma multa de R$ 536 milhões por crime de "insider trading" (uso de informações privilegiadas) ao negociar ações da petroleira OGX de posse de informação privilegiada. Ele também está proibido por sete anos de atuar como administrador de companhia aberta ou no conselho fiscal. A decisão será comunicada ao Ministério Público Federal. A defesa ainda pode contestar os valores e o prazo da pena.

De acordo com reportagem do jornal Folha de S.Paulo, publicada em novembro de 2013, administradores da OGX sabiam, desde julho de 2012, que as reservas da petroleira não correspondiam ao que havia sido divulgado ao mercado.

Eike foi investigado pelos crimes de prática de insider trading, por vender ações, mas tinha informação sobre as dificuldades da empresa e manipulação de preço por meio de sua conta no Twitter, estimulando os investidores a manter os papeis da empresa. "As condutas de Eike violam gravemente o mercado de capitais e fulminam a confiança dos investidores", disse Henrique Machado, diretor da CVM e relator do caso.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247