CVM quer estimular educação financeira

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão regulador e fiscalizador do mercado de capitais, vinculado ao Ministério da Fazenda, participa, a partir de amanhã (9), da 2ª Semana Nacional de Educação Financeira (Semana ENEF) com o lançamento de novos projetos educativos, entre os quais aplicativos para smartphones, destinados a adolescentes; promoção se estenderá até o próximo dia 15 em todo o território nacional, envolvendo mais de duzentas iniciativas gratuitas sobre educação financeira e planejamento pessoal

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão regulador e fiscalizador do mercado de capitais, vinculado ao Ministério da Fazenda, participa, a partir de amanhã (9), da 2ª Semana Nacional de Educação Financeira (Semana ENEF) com o lançamento de novos projetos educativos, entre os quais aplicativos para smartphones, destinados a adolescentes; promoção se estenderá até o próximo dia 15 em todo o território nacional, envolvendo mais de duzentas iniciativas gratuitas sobre educação financeira e planejamento pessoal
A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão regulador e fiscalizador do mercado de capitais, vinculado ao Ministério da Fazenda, participa, a partir de amanhã (9), da 2ª Semana Nacional de Educação Financeira (Semana ENEF) com o lançamento de novos projetos educativos, entre os quais aplicativos para smartphones, destinados a adolescentes; promoção se estenderá até o próximo dia 15 em todo o território nacional, envolvendo mais de duzentas iniciativas gratuitas sobre educação financeira e planejamento pessoal (Foto: Romulo Faro)

Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão regulador e fiscalizador do mercado de capitais, vinculado ao Ministério da Fazenda, participa, a partir de amanhã (9), da 2ª Semana Nacional de Educação Financeira (Semana ENEF) com o lançamento de novos projetos educativos, entre os quais aplicativos para smartphones, destinados a adolescentes.

A promoção se estenderá até o próximo dia 15 em todo o território nacional, envolvendo mais de duzentas iniciativas gratuitas sobre educação financeira e planejamento pessoal. No ano passado, foram cerca de 170 eventos cadastrados. O objetivo é estimular a atuação das escolas na promoção da educação financeira, disse à Agência Brasil o superintendente de Proteção e Orientação aos Investidores da CVM, José Alexandre Vasco.

Este ano, cresceu a atuação presencial da CVM na Semana ENEF. São 36 eventos presenciais agendados na próxima semana em nove estados. Na quarta-feira (11), a autarquia, sediada no Rio de Janeiro, vai lançar o aplicativo CVM Jogos, voltado a jovens entre 16 e 18 anos.

O superintendente disse que o aplicativo, disponível inicialmente para dispositivos que operam com o sistema Android, traz uma série de perguntas e respostas e pretende ajudar os jovens a "aprender brincando" aspectos relativos à educação financeira.

Esse é o primeiro de uma série de aplicativos para celular que a CVM vai lançar até o final do ano. "Esse vai ser um esforço contínuo para aproximar educação financeira e mercado de capitais dos jovens e das crianças". A versão do'game para o sistema operacional iOS será lançada em breve. A CVM já tem um portal infantil, mas está desenvolvendo também um projeto eletrônico específico para crianças menores de 16 anos.

José Alexandre Vasco salientou que educação financeira é fundamental para a formação da poupança. "Sem formar poupança, sem formar reservas financeiras, a pessoa não pode se tornar um investidor".

Essa tem sido uma dificuldade observada na sociedade brasileira, advertiu. Enfatizou que o Brasil tem uma das menores taxas domésticas de poupança da América Latina. "É necessário que a gente desenvolva ações educacionais que alcancem a população em larga escala para estimular a mudança de atitude e a mudança comportamental que levem a um maior planejamento financeiro e à formação de poupança".

Por isso, a CVM está ampliando a sua atuação educacional para abranger pessoas que ainda não investem, mas têm potencial de investimento. Nesse caso, o foco é a nova classe média, que reside nos grandes centros urbanos, nas cidades médias e na periferia, que tem capacidade de poupança, mas apresenta ainda uma taxa pequena de poupança e com endividamento, muitas vezes. "Esse é um grande desafio", disse Vasco. A CVM prevê implantar até o final do um projeto específico para a educação financeira e mudança de comportamento da classe média.

Outras novidades que a CVM apresentará durante a Semana ENEF: o Guia CVM de Planejamento Financeiro, com orientações práticas para elaboração de planejamento financeiro pessoal; o livro Mercado de Derivativos no Brasil: Conceitos, Produtos e Operações, feito em parceria com a BM&FBovespa, voltado a estudantes universitários e o Folheto CVM Educação Financeira, que resume as principais atividades educacionais desenvolvidas pela autarquia; além da segunda edição do livro Relações com Investidores: Da Pequena Empresa ao Mercado de Capitais, elaborada em parceria com o Instituto Brasileiro de Relação com Investidores (Ibri). Todas as publicações poderão ser acessadas no Portal do Investidor.

A Semana ENEF é organizada pelo Comitê Nacional de Educação Financeira (Conef), com o objetivo de divulgar a Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF), política pública lançada em 2010 com a finalidade de promover a educação financeira e previdenciária da população.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247