CVM tenta criar factoide contra Dilma

Inquérito Administrativo da CVM, iniciado em 2014 e concluído em junho deste ano, responsabiliza a presidente deposta Dilma Rousseff e outros ex-membros do Conselho de Administração da Petrobrás no caso da compra da refinaria de Pasadena, em 2006; Dilma, no entanto, já foi inocentada do caso pelo TCU

CVM tenta criar factoide contra Dilma
CVM tenta criar factoide contra Dilma
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Faltando menos de uma semana para o início da campanha eleitoral, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) divulga um factoide contra a presidente deposta Dilma Rousseff, candidata ao Senado por Minas Gerais. 

Inquérito Administrativo da CVM, iniciado em 2014 e concluído em junho deste ano, responsabiliza Dilma e outros ex-membros do Conselho de Administração da Petrobrás no caso da compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, realizada pela Petrobrás em 2006. O inquérito pede responsabilidade dos membros por ter "faltado com o dever de diligência quando da aprovação da aquisição" da refinaria.

O relatório causa estranheza, porque  Dilma Rousseff já foi inocentada no caso. Uma análise do Tribunal de Contas da União isentou o Conselho de Administração da Petrobras, então presidido por Dilma Rousseff, de ter cometido qualquer “ato de gestão irregular” na compra da refinaria de Pasadena. Relatório dos analistas do TCU e do Ministério Público de Contas contraria a versão de delatores como Delcídio do Amaral e Nestor Cerveró e mostra que eles mentiram para prejudicar Dilma (leia mais). 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247