Demitidos pela GM passam de 600, diz sindicato

Metalúrgicos da unidade de São José dos Campos da montadora estão em greve por tempo indeterminado desde a última segunda-feira 10 em protesto contra as demissões e farão um ato contra os cortes nesta sexta-feira 14; cerca de 5,2 mil pessoas trabalham no local

Metalúrgicos da unidade de São José dos Campos da montadora estão em greve por tempo indeterminado desde a última segunda-feira 10 em protesto contra as demissões e farão um ato contra os cortes nesta sexta-feira 14; cerca de 5,2 mil pessoas trabalham no local
Metalúrgicos da unidade de São José dos Campos da montadora estão em greve por tempo indeterminado desde a última segunda-feira 10 em protesto contra as demissões e farão um ato contra os cortes nesta sexta-feira 14; cerca de 5,2 mil pessoas trabalham no local (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O total de demissões na unidade da General Motors de São José dos Campos, interior de São Paulo, já ultrapassa 600 profissionais, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos local. A GM, porém, não confirmou a informação e informou apenas que todos os comunicados de dispensa teriam sido emitidos no mesmo dia.

Os metalúrgicos da unidade estão em greve por tempo indeterminado desde a última segunda-feira (10) - cerca de 5,2 mil pessoas trabalham na unidade. A GM ingressou com um pedido e dissídio coletivo junto ao Tribunal Regional do Trabalho, em Campinas, nesta quarta-feira (12). De acordo com o sindicato, uma reunião de conciliação para atestar a validade da greve está prevista para ser realizada na próxima segunda-feira.

Nesta sexta-feira, será realizado um ato na porta da fábrica pedindo a anulação das demissões e a abertura das negociações com a direção da montadora.

Além da GM, a Volkswagem também enfrenta problemas com seus funcionários. Os funcionários da empresa na região, cuja fábrica emprega cerca de 5 mil pessoas, também estão em estado de greve, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e região. Neste ano, a empresa implantou diversas medidas de flexibilização como férias coletivas e a suspensão temporária dos contratos trabalhistas.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email