Deputados governistas se mobilizam para incluir parentes na Lei da Repatriação

Deputados da base governista deram início a uma ofensiva para permitir que parentes de políticos estejam liberados para trazer recursos não declarados do exterior na Lei da Repatriação; a proibição explícita deste ponto foi incluída no texto aprovado pelo Congresso em dezembro de 2015: para disfarçar a manobra, a estratégia do grupo é que algum deputado apresente a emenda em plenário, e portanto fora do parecer oficial, que mantenha a proibição a políticos, mas que exclua os familiares da lista

Deputados governistas se mobilizam para incluir parentes na Lei da Repatriação
Deputados governistas se mobilizam para incluir parentes na Lei da Repatriação (Foto: LUIS MACEDO)

247 - Deputados da base governista deram início a uma ofensiva para permitir que parentes de políticos estejam liberados para trazer recursos não declarados do exterior na Lei da Repatriação. A proibição explícita deste ponto foi incluída no texto aprovado pelo Congresso em dezembro de 2015. Para disfarçar, a estratégia agora é que algum deputado apresenta a emenda em plenário, e portanto fora do parecer oficial, que mantenha a proibição a políticos, mas que exclua os familiares da lista, diz a coluna Painel da Folha de S.Paulo.

"Apesar das declarações do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, de que engavetaria o projeto por não ter conseguido votá-lo nesta terça (11), deputados esperam que seu coração amoleça e que a repatriação volte à pauta em breve.

No governo, ministros dizem que Tasso Jereissati (PSDB-CE), que vem de uma família de renomados empresários, trabalhou para excluir parentes de políticos da proibição. A assessoria do senador não se posicionou até a conclusão da edição.

Para a área econômica, o melhor é que o texto da lei não seja mexido. Além de arrecadar menos, concessões demais a esta altura passam a ideia de que o ajuste fiscal pune mais aqueles com menor capacidade de pressão sobre o Congresso."

Ao vivo na TV 247 Youtube 247