(Des)Governo Temer pode vender petróleo do pré-sal abaixo do preço

A Pré-sal Petróleo SA (PPSA), estatal criada pelo governo para gerenciar os campos de petróleo do pré-sal, tentará mais uma vez vender contratos de petróleo que pertencem à União; desta vez, no entanto, a estatal abrirá de antemão a possibilidade de venda abaixo do preço de referência, caso não apareçam interessados a pagar os valores propostos

(Des)Governo Temer pode vender petróleo do pré-sal abaixo do preço
(Des)Governo Temer pode vender petróleo do pré-sal abaixo do preço (Foto: WILTON JUNIOR)

247A Pré-sal Petróleo SA (PPSA), estatal criada pelo governo para gerenciar os campos de petróleo do pré-sal, tentará mais uma vez vender contratos de petróleo que pertencem à União. Desta vez, no entanto, a estatal abrirá de antemão a possibilidade de venda abaixo do preço de referência, caso não apareçam interessados a pagar os valores propostos.

"Será o segundo leilão realizado pela empresa. No primeiro, em maio, apenas a anglo-holandesa Shell demonstrou interesse. No dia da oferta, porém, a empresa não fez propostas. A PPSA é responsável pela venda de volumes de petróleo aos quais a União tem direito em campos do pré-sal, de acordo com a lei que alterou as regras do setor, sancionada pelo então presidente Lula em 2010. No leilão de agosto, serão três lotes com um total de 3 milhões de barris, dos campos de Lula, Sapinhoá e Mero, todos eles operados pela Petrobras na Bacia de Santos. O governo espera arrecadar R$ 1 bilhão até o fim do ano com a venda desse óleo.

Em Lula e Sapinhoá, a União tem direito ao petróleo porque parte das reservas está fora da área de concessão. Mero é um contrato de partilha da produção, no qual o governo tem direito a 41,65% do volume produzido. Os leilões têm como ponto de partida o preço de referência estabelecido pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis) para cada campo. O preço é alterado mensalmente, de acordo com a evolução das cotações internacionais."

Leia mais aqui. 

 

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247