Dilma reclama de "Manipulação inadmissível"

Na África do Sul, presidente procura o Blog do Planalto, veículo eletrônico oficial, para criticar interpretações do mercado financeiro brasileiro sobre seu pronunciamento na manhã desta quarta-feira 27; "O combate à inflação é um valor em si mesmo e permanente do meu governo", disse Dilma Rousseff em Durban, para antes assinalar: "Houve uma manipulação inadmissível da minha fala"; especulação se dá em torno de manutenção de juros no atual patamar; presidente do Banco Central, Alexandre Tombini dá entrevista para reafirmar vigilância à inflação

Dilma reclama de "Manipulação inadmissível"
Dilma reclama de "Manipulação inadmissível"
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Atenta à reação do mercado ao seu pronunciamento em Durban, na África do Sul, durante reunião dos Brics, a presidente Dilma Rousseff falou ao Blog do Planalto para desfazer a impressão de que a preocupação com a inflação não está no centro da política econômica do governo. Ela também se pronunciou no sentido de não passar a impressão de falta de autonomia do Banco Central.

Nos últimos tempos, o mercado financeiro ganhou espaço para especulação sobre a taxa de juros. A fala de Dilma mais cedo foi interpretada como um sinal de que o Copom -- Comitê de Política Monetária do Banco Central -- não irá subir os juros em sua próximo reunião. O encontro irá acontecer no mesmo dia da divulgacão do resultado do PIB do primeiro trimestre. "Se o PIB ficar em um por cento, com esse clima eleitoral, ai é que os juros não subirão mesmo", disse uma fonte do mercado financeiro. Sem uma elevação na taxa de juros, parte dos agentes acreditam que a inflação tende a subir, enquanto outro contingente não vê risco de isso acontecer.

Para barrar as especulações, Dilma procurou esclarecer o que disse. Confira abaixo íntegra da nota no Blog do Planato:

Dilma diz que sua fala sobre inflação foi manipulada

Quarta-feira, 27 de março de 2013 às 15:35   (Última atualização: 27/03/2013 às 15:36:27)

A presidenta Dilma Rousseff declarou ao Blog do Planalto que houve interpretações equivocadas dos seus comentários sobre inflação, feitos na manhã desta quarta-feira (27), em Durban, na África do Sul, durante entrevista a veículos de comunicação.

“Foi uma manipulação inadmissível de minha fala. O combate à inflação é um valor em si mesmo e permanente do meu governo”, afirmou.

A declaração foi feita após a presidenta tomar conhecimento de que agentes do mercado financeiro estavam interpretando erroneamente seus comentários como expressão de leniência em relação à inflação. A presidenta solicitou ao presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, que também desse esclarecimentos sobre o assunto.

Tombini

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, falou nesta quarta-feira para explicar que as declarações da presidente Dilma Rousseff, dadas da Cúpula dos BRICS, em Durban, África do Sul, na manhã desta quarta-feira 27, foram entendidas de forma equivocada. Tombini afirmou que "Dilma pediu que o mal entendido fosse desfeito e que não há tolerância em relação à inflação".

Durante a cúpula, Dilma disse que discorda de políticas para controlar a inflação que visem um crescimento econômico menor. "Eu não concordo com políticas de combate à inflação que olhem a questão da redução do crescimento econômico. Até porque, nós temos uma contraprova dada pela realidade", disse. "Nós vemos um baixo crescimento no ano passado, e houve um aumento da inflação, porque teve um choque de oferta devido à crise. Um dos fatores era externo", completou.

Depois da repercussão no mercado, segundo Tombini, Dilma solicitou a ele que reforçasse que, se fosse preciso, os instrumentos de política monetária serão usados. "De inflação fala a equipe econômica. Em relação à política de juros, fala o Banco Central", destacou Tombini à Agência Estado, reforçando que esta é a posição da presidente Dilma.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email