Dilma: Só pelo golpe conseguirão fazer o que pretendem com o pré-sal

Em entrevista à Agência Pública, a presidente Dilma Rousseff voltou a rechaçar as medidas do governo interino de Michel Temer e lembrou que essas propostas não encontram respaldo na população: “Alterar o regime de partilha é, de fato, um absurdo. Eles jamais conseguiriam fazer com o pré-sal o que pretendem sem ser através de métodos absolutamente fraudulentos e golpistas. Por eleição direta não fariam. E eles não ganham eleição direta há muitos anos. Então, eu acho que tentaram encurtar o caminho... Eles também vão reduzir a saúde, acabar com o Minha Casa, Minha Vida. Já acabaram! Porque acabaram já com a faixa 1. A faixa 1 é a faixa pobre do Oiapoque ao Chuí”, completou; Temer já declarou apoio ao projeto de lei do tucano José Serra que abre o pré-sal a estrangeiros

Em entrevista à Agência Pública, a presidente Dilma Rousseff voltou a rechaçar as medidas do governo interino de Michel Temer e lembrou que essas propostas não encontram respaldo na população: “Alterar o regime de partilha é, de fato, um absurdo. Eles jamais conseguiriam fazer com o pré-sal o que pretendem sem ser através de métodos absolutamente fraudulentos e golpistas. Por eleição direta não fariam. E eles não ganham eleição direta há muitos anos. Então, eu acho que tentaram encurtar o caminho... Eles também vão reduzir a saúde, acabar com o Minha Casa, Minha Vida. Já acabaram! Porque acabaram já com a faixa 1. A faixa 1 é a faixa pobre do Oiapoque ao Chuí”, completou; Temer já declarou apoio ao projeto de lei do tucano José Serra que abre o pré-sal a estrangeiros
Em entrevista à Agência Pública, a presidente Dilma Rousseff voltou a rechaçar as medidas do governo interino de Michel Temer e lembrou que essas propostas não encontram respaldo na população: “Alterar o regime de partilha é, de fato, um absurdo. Eles jamais conseguiriam fazer com o pré-sal o que pretendem sem ser através de métodos absolutamente fraudulentos e golpistas. Por eleição direta não fariam. E eles não ganham eleição direta há muitos anos. Então, eu acho que tentaram encurtar o caminho... Eles também vão reduzir a saúde, acabar com o Minha Casa, Minha Vida. Já acabaram! Porque acabaram já com a faixa 1. A faixa 1 é a faixa pobre do Oiapoque ao Chuí”, completou; Temer já declarou apoio ao projeto de lei do tucano José Serra que abre o pré-sal a estrangeiros (Foto: Roberta Namour)

247 - Em entrevista à Agência Pública, a presidente Dilma Rousseff voltou a rechaçar as medidas do governo interino de Michel Temer e lembrou que essas propostas não encontram respaldo na população: “Alterar o regime de partilha é, de fato, um absurdo. Eles jamais conseguiriam fazer com o pré-sal o que pretendem sem ser através de métodos absolutamente fraudulentos e golpistas. Por eleição direta não fariam. E eles não ganham eleição direta há muitos anos. Então, eu acho que tentaram encurtar o caminho... Eles também vão reduzir a saúde, acabar com o Minha Casa, Minha Vida. Já acabaram! Porque acabaram já com a faixa 1. A faixa 1 é a faixa pobre do Oiapoque ao Chuí”, completou.

Dilma falou também sobre os efeitos das manobras golpistas para a democracia da América Latina. “Eu acho que é uma nova forma de retirar governos que criam descontentamento [em relação] à oligarquia econômica, ou política, ou um grupo de interesses, que se considera descontente em relação a alguma das características do governo em exercício. Aí o que eles fazem? Dão um golpe parlamentar. Em que consiste um golpe parlamentar? Ele não é igual a um golpe militar. Um golpe militar não só extingue o governo em questão, mas acaba também com o regime democrático. Tem uma característica: você tira o governo e mantém o regime democrático”, destacou a presidente.

Segundo ela, essas manobras tem um preço. “Você compromete suas instituições, você cria cicatriz na sociedade. Você, muitas vezes, impede a recomposição do tecido democrático. Então tem uma consequência grave. E acho que criará, na América Latina, uma instabilidade”, afirmou (leia aqui). 

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247