Dólar dispara 29% no 1º tri e analistas veem poucos motivos para alívio

O dólar fechou em leve alta nesta terça-feira ante o real, mas disparou em março e encerrou os três primeiros meses de 2020 com a maior valorização trimestral em 18 anos

www.brasil247.com -
(Foto: Reuters)


Por José de Castro

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em leve alta nesta terça-feira ante o real, mas disparou em março e encerrou os três primeiros meses de 2020 com a maior valorização trimestral em 18 anos, fruto da escalada dos receios econômicos decorrentes da pandemia do coronavírus.

Esse movimento refletiu ampla procura pela moeda norte-americana em todo o mundo, com empresas e instituições financeiras buscando manter o ativo em carteira diante do temor de fechamento dos canais globais de crédito à medida que a economia mundial mergulha em uma profunda recessão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para driblar a escassez da divisa, o Fed anunciou trilhões de dólares em medidas de suporte à liquidez. Paralelamente, os Estados Unidos aprovaram um pacote histórico de 2,2 trilhões de dólares em ajuda a empresas e trabalhadores. O BC brasileiro também anunciou ações para ajudar a economia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas o dólar segue forte. Para analistas, a perspectiva de recessão global e no Brasil mina chances substanciais de um alívio, ainda que de curto prazo, no câmbio.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“A moeda (o real) tende a se fortalecer quando a economia cresce. E dificilmente vamos ver o Brasil crescer neste ano”, disse William Castro, estrategista-chefe da Avenue Securities, em Miami.

Uma economia mais vibrante atrai investimentos estrangeiros para o setor produtivo e recursos para portfólio, o que amplia a oferta de dólar e tende a baixar o preço da moeda.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas o mercado espera que o PIB do Brasil retraia 0,48% em 2020, contra expectativa anterior de crescimento de 1,48%, devido aos efeitos da pandemia.

Para Castro, somam-se a isso questões como a situação fiscal brasileira, o juro baixo (que oferece menor retorno ao investidor que abre mão de investidor em ativos em dólar) e persistentes ruídos políticos locais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email