Dólar fechou abril com quarta alta mensal seguida

Nos quatro primeiros meses do ano, o dólar disparou 35,51%, em razão da falta de confiança na economia brasileira

Dólar e o ministro da Economia, Paulo Guedes
Dólar e o ministro da Economia, Paulo Guedes (Foto: Reuters | Wilson Dias/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar voltou a fechar uma sessão em alta nesta quinta-feira, alavancado pelo exterior, mas encerrou a semana em queda de mais de 4%, ao fim de um período marcado por alguma trégua nos temores quanto à permanência de Paulo Guedes no governo e pelo reforço nas intervenções cambiais do Banco Central.

A desvalorização na semana, contudo, apenas reduziu o ganho acumulado em abril —quarto mês seguido de alta. O suporte externo ao dólar se somou à escalada dos ruídos políticos domésticos, que, embora amenizados, ainda são vistos como persistentes.

O real terminou o mês com o segundo pior desempenho global (-4,48%), à frente apenas da lira turca (-5,4%). Outras divisas emergentes também perderam, mas em menor intensidade, como rand sul-africano (-3,6%) e peso mexicano (-1,7%).

As divisas emergentes de forma geral destoaram de outras divisas sensíveis ao sentimento de risco global. O dólar australiano, por exemplo, saltou mais de 6% no período.

No dia 24 de abril, data em que Sergio Moro anunciou sua saída do governo, o dólar disparou a uma máxima histórica nominal intradiária de 5,7491 reais.

“Pressões de alta deverão continuar em curso enquanto a moeda seguir acima das máximas de março e do começo de abril”, disseram analistas do Commerzbank. As máximas do começo de abril e do mês de março estão perto de 5,33 reais e de 5,20 reais, respectivamente.

Para o Credit Suisse, o dólar deverá passar agora por um “longo período de consolidação”, antes de retomar sua tendência de alta. Estrategistas do banco citam indicadores técnicos, como o índice de força relativa em território “pesadamente sobrecomprado” e medidas de “momentum” de prazo mais curto “esticadas”.

“Vemos resistência inicialmente na atual máxima histórica, de 5,7475 reais, que pode limitar (nova alta) por enquanto. Posteriormente, contudo, esperamos finalmente uma fuga desse limite e uma retomada da tendência principal de valorização, com o próximo nível na barreira psicológica de 6,0000 reais”, concluíram.

A moeda norte-americana terminou a sessão no mercado à vista com ganho de 1,55%, a 5,4380 reais na venda.

Na semana, a cotação caiu 4,06%, mas ainda encerrou abril com valorização de 4,69%.

Nos quatro primeiros meses do ano, o dólar disparou 35,51%.

Em leilões realizados em abril, o BC liquidou um total de 6,792 bilhões de dólares em swaps cambiais tradicionais com data de início neste mês, maior volume do ano.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247