Dólar tem maior alta desde novembro e crava novo recorde acima de R$4,58 com atenções a Selic

Política econômica de Bolsonaro e Guedes leva à alta da moeda norte-americana pela 11ª sessão consecutiva

Crise monetária
Crise monetária (Foto: Marcelo del Pozo / Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - O mercado de câmbio foi tomado por uma onda de compra de dólar ante o real nesta quarta-feira, com a moeda norte-americana em alta pela 11ª sessão consecutiva e cravando novos recordes já a caminho de 4,60 reais, depois que um salto nas apostas de cortes de juros no Brasil em meio a dados mornos da economia minou o cenário para entrada de capital no mercado doméstico.

A valorização se manteve a despeito de o Banco Central ter anunciado nesta quarta oferta líquida, na quinta, de até 1 bilhão de dólares em contratos de swap cambial tradicional.

O dólar à vista saltou 1,55%, a 4,5806 reais na venda, perto da máxima intradiária recorde alcançada durante os negócios, de 4,5844 reais na venda.

É a maior alta percentual diária desde 8 de novembro de 2019 (+1,83%).

No ano, o dólar spot dispara 14,15%, o que coloca o real na liderança isolada das maiores perdas entre 33 rivais da divisa dos EUA.

Nas negociações com dólar futuro na B3, a moeda chegou a subir para 4,5915 reais e, às 17h06, ganhava 1,43%, a 4,5890 reais.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247