Economista ligado ao DEM rejeita ideias de Ciro Gomes

O economista Claudio Adilson Gonçalez, indicado pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), se reuniu com Mauro Benevides, o responsável pelo programa econômico de Ciro Gomes (PDT); o encontro não foi amistoso; Gonçalez alertou Benevides sobre o discurso "perigoso" e "desestabilizante" do pré-candidato do PDT; para o economista ligado ao DEM, a linha do pensamento econômico liberal "não é conciliável" com as ideias defendidas por Ciro

Economista ligado ao DEM rejeita ideias de Ciro Gomes
Economista ligado ao DEM rejeita ideias de Ciro Gomes (Foto: REUTERS/Sergio Moraes)

247 - O economista Claudio Adilson Gonçalez, indicado pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), se reuniu com Mauro Benevides, o responsável pelo programa econômico de Ciro Gomes (PDT). O encontro não foi amistoso. Gonçalez alertou Benevides sobre o discurso "perigoso" e "desestabilizante" do pré-candidato do PDT. Para o economista ligado ao DEM, a linha do pensamento econômico liberal "não é conciliável" com as ideias defendidas por Ciro.

"Diretor-presidente da MCM Consultores, Gonçalez foi chefe da assessoria econômica do Ministério da Fazenda e colaborou com o Instituto Tancredo Neves (ligado ao antigo PFL e ao DEM) e diz ter atendido a um pedido de Maia para dizer à equipe de Ciro o que achava de suas propostas. "Sou um profissional de economia. Minha reunião com o assessor econômico Mauro Benevides não teve como objetivo estabelecer plataforma de programa econômico. Apenas mostrei alguns perigos no discurso do Ciro", disse ao Broadcast Político. "Quando o Mauro Benevides disse que, entre seis pontos divergentes, houve acordo em cinco deles, eu pensei: 'meu Deus, acordo em quê?", afirmou.

O diretor-presidente da MCM disse não saber se Benevides concordou ou não com suas ponderações. 'Eu sou um economista com formação liberal, a favor do livre mercado, não é capitalismo de compadrio. Benevides joga em outro canto do pensamento econômico: intervenções governamentais, política industrial com linha subsidiada do BNDES...', disse. 'Eu e ele jamais conseguiríamos chegar num acordo de programa econômico. Eu poderia discutir um programa econômico com Pérsio Arida, com o Armínio Fraga. Aí, dá conversa. Não estou dizendo que eu sou bom e ele é ruim. São posições de análise econômica que não são conciliáveis', argumentou."

Leia mais aqui.

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247