Economistas passam a ver Selic a 5,00% neste ano

A expectativa para a taxa básica de juros na pesquisa Focus que o Banco Central divulgou voltou a cair para este ano, em meio à fraqueza da economia e à inflação comportada. O levantamento semanal apontou que a expectativa para a Selic, reduzida na última reunião a 6,0%, é agora de que termine 2019 a 5,00%, de 5,25% antes

(Foto: REUTERS/Bruno Domingos)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SÃO PAULO (Reuters) - A expectativa para a taxa básica de juros na pesquisa Focus que o Banco Central divulgou nesta segunda-feira voltou a cair para este ano, em meio à fraqueza da economia e à inflação comportada.

O levantamento semanal apontou que a expectativa para a Selic, reduzida na última reunião a 6,0%, é agora de que termine 2019 a 5,00%, de 5,25% antes. Com isso, o cenário se alinha ao do Top-5, grupo dos que mais acertam as previsões, que também baixou a visão para os juros básicos a 5%, de 5,13%.

De acordo com as estimativas, a perspectiva é de corte de 0,50 ponto percentual no encontro de setembro do BC, seguido de mais duas reduções de 0,25 ponto cada.

Em sua comunicação mais recente, o BC repetiu que a conjuntura ainda prescreve política monetária estimulativa no Brasil —ou seja, com juro abaixo do neutro—, com inflação ancorada.

Para 2020 permanece a projeção de 5,50%, mas o Top-5 vê a taxa mais baixa, a 5,13% na mediana das estimativas, de 5,38% na semana anterior.

A pesquisa com uma centena de economistas ainda aponta que eles passaram a ver crescimento do PIB este ano de 0,81%, 0,01 ponto percentual a menos do que no levantamento anterior, mantendo a previsão para o próximo ano em 2,10%.

Já a alta do IPCA é estimada 3,76% em 2019, de 3,80, indo a 3,90% em 2020, sem alterações. O centro da meta oficial de 2019 é de 4,25 por cento e, de 2020, de 4 por cento, ambos com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247