Eletrobras tem adesão de 2.462 funcionários a plano de demissão voluntária

A empresa respondeu por meio da assessoria de imprensa que "não há previsão de lançamento de novo PDV até o fim do ano

www.brasil247.com - Eletrobrás
Eletrobrás (Foto: Reuters / Pilar Olivares)


RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Eletrobras registrou a adesão de 2.462 funcionários ao Plano de Demissão Voluntária (PDV) lançado em 31 de outubro, o equivalente a 90% dos elegíveis, disse a companhia à Reuters nesta sexta-feira.

A informação confirma matéria publicada mais cedo pela Reuters, a partir de uma fonte da empresa.

Na reportagem, a Reuters informou ainda que a elétrica estuda a possibilidade de um novo programa em 2023 para atingir o número de trabalhadores que considera ideal para aumentar a eficiência, segundo a fonte que falou na condição de anonimato.

Sobre esse tópico, a Eletrobras apenas respondeu por meio da assessoria de imprensa que "não há previsão de lançamento de novo PDV até o fim do ano", após ser consultada.

O primeiro PDV da Eletrobras privatizada abrangeu todas as empresas do sistema (Eletrosul, Chesf, Eletronorte e Furnas), em um plano focado em funcionários aposentados pela previdência oficial ou aqueles que estavam prestes a se aposentar.

Liminares judiciais, contudo, estão barrando o PDV em três bases de Furnas --Rio de Janeiro, Angra dos Reis e São Paulo--, disse a Eletrobras recentemente, acrescentando que busca reverter na Justiça as decisões que envolvem 345 adesões. Para as demais empresas e outras bases de Furnas, o PDV está mantido em sua íntegra.

Os desligamentos previstos no PDV, que tem um custo estimado de 1 bilhão de reais, devem ocorrer entre dezembro deste ano e abril de 2023.

Uma consultoria vem trabalhando com a Eletrobras em estudos para "otimização" do quadro de empregados.

"Já houve adesão de aproximadamente 2.500 nesse primeiro PDV, e há espaço para um outro em maio de 2023", disse mais cedo a fonte com conhecimento do assunto.

O segundo PDV pode ser focado em funcionários não aposentados, e ele estará incorporado dentro de uma nova estrutura organizacional que está sendo montada, que terá como um dos pilares a maior automação e tecnologia, segundo a fonte.

O grupo Eletrobras conta hoje com cerca de 10.500 empregados e reduziria o quadro para cerca de 8 mil colaboradores, com esse primeiro PDV com a empresa privatizada.

O segundo plano de demissão voluntária poderia envolver até 20% quadro remanescente.

"A leitura é que o número final e ideal da companhia fique entre 7.000 e 7.500 colaboradores. Para o tamanho da companhia, não é muita gente. Se a empresa conseguir esse número, ela será a mais eficiente do setor com menor custo por megawatt gerado e por megawatt transmitido", disse a fonte.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247