Em meio à pandemia, pedidos de seguro-desemprego sobem 11,3% em março e chegam a 536 mil

Apesar da alta sobre fevereiro, o número corresponde a uma que de 3,5% sobre o mês de março do ano passado. Para o secretário-executivo do Ministério da Economia, Marcelo Guaranys, o desemprego "não explodiu" e "a situação está parecida com o ano passado"

(Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O número de pedidos de seguro-desemprego cresceu 11,3% em março, quando em comparação com o mês anterior, devido ao avanço da pandemia do novo coronavírus. Segundo dados do Ministério da Economia um total de 536.845 trabalhadores requisitaram o auxílio. Apesar da alta sobre os pedidos registrados em fevereiro, o número corresponde a uma que de 3,5% sobre o mês de março do ano passado. 

“Tínhamos preocupação com uma explosão do desemprego. Nós não verificamos isso. Por enquanto, não verificamos um aumento no número de pedidos de seguro-desemprego, que demonstra para nós que a situação está parecida com o ano passado. Isso é uma notícia muito boa “, afirmou o disse o secretário-executivo do Ministério da Economia, Marcelo Guaranys.

Ainda segundo o ministério, foram registrados  267.693 pedidos de seguro-desemprego ao longo da primeira quinzena de abril, uma queda de -13,8% em relação ao ano anterior. 

Os dados foram divulgados nesta terça-feira (28) e são os primeiros a refletirem a crise decorrente da pandemia sobre o mercado de trabalho formal. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247