CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em meio a sanções, nações africanas aumentaram as importações de produtos petrolíferos da Rússia

A exportação de produtos petrolíferos russos foi aumentada pela Nigéria, Marrocos, Sudão, Costa do Marfim, Senegal e Togo

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sputnik - Vários países africanos aumentaram as importações de produtos petrolíferos da Rússia depois que a União Europeia impôs sanções a Moscou, informou a mídia nesta quinta-feira (22).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As exportações russas de diesel para a África aumentaram de 0,8 para 1 milhão de toneladas, enquanto as entregas de gasolina e nafta aumentaram para 200 mil toneladas, informou o portal de notícias Ripples Nigeria, citando o provedor de dados de mercado Refinitiv.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A exportação de produtos petrolíferos russos foi aumentada pela Nigéria, Marrocos, Sudão, Costa do Marfim, Senegal e Togo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DAS RECOMENDAÇÕES

A Rússia enfrentou sanções maciças impostas pela União Europeia, Estados Unidos e alguns outros países por sua operação militar na Ucrânia, lançada em 24 de fevereiro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No começo deste mês, o presidente da União Africana pediu a suspensão de sanções sobre trigo e fertilizantes russos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Macky Sall, que também é presidente de Senegal, afirmou que Vladimir Putin expressou "sua disponibilidade para facilitar a exportação de grãos ucranianos".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em reunião com o presidente russo Vladimir Putin, em Sochi, o líder senegalês observou que as sanções contra a Rússia cortaram o acesso dos países africanos "aos grãos, especialmente ao trigo russo e, o mais importante, aos fertilizantes".

"Existem dois problemas principais: a crise [de alimentos] e as sanções. Temos que trabalhar para resolver esses dois problemas e, assim, eliminar as sanções sobre os produtos alimentícios, em particular grãos e fertilizantes", disse Sall.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

Logo após a reunião no começo de junho, o líder senegalês tuitou que "o presidente Putin expressou sua disponibilidade para facilitar a exportação de grãos ucranianos. A Rússia está pronta para garantir a exportação de seu trigo e fertilizantes".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE