Embaralhamento de pastas sobrecarrega setores e gera tensões no futuro goveno

O embaralhamento de pastas em todas as áreas do governo promove um desequilíbrio inédito nas atribuições e competências do futuro governo. A área econômica vai sofrer sobrecargas no setor jurídico: a PGFN (Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional), passará a ser subordinada a uma estrutura muito maior a partir de 2019. O órgão é responsável por atuar na cobrança da dívida ativa da União, representar o governo na Justiça em matérias fiscais e fazer consultoria jurídica para o Ministério da Fazenda

Embaralhamento de pastas sobrecarrega setores e gera tensões no futuro goveno
Embaralhamento de pastas sobrecarrega setores e gera tensões no futuro goveno (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O embaralhamento de pastas em todas as áreas do governo promove um desequilíbrio inédito nas atribuições e competências do futuro governo. A área econômica vai sofrer sobrecargas no setor jurídico: a PGFN (Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional), passará a ser subordinada a uma estrutura muito maior a partir de 2019. O órgão é responsável por atuar na cobrança da dívida ativa da União, representar o governo na Justiça em matérias fiscais e fazer consultoria jurídica para o Ministério da Fazenda.

Segundo a reportagem do jornal Folha de S. Paulo, "eventuais instabilidades na atuação da PGFN trazem impactos que extrapolam a área jurídica e atingem o Orçamento do governo. Somente nas cobranças da dívida ativa, o órgão recuperou R$ 26,1 bilhões para os cofres públicos em 2017. Guedes e membros da área econômica que compõem equipe de transição ainda discutem saídas e não chegaram a uma definição sobre as mudanças."

A pouca clareza do remanejamento gera tensões no governo: "há dúvidas sobre a forma de viabilizar as alterações de estrutura. O tema é considerado delicado porque existem barreiras legais para possíveis ampliações nas responsabilidades da PGFN. As atribuições do órgão são definidas em lei complementar, o que significa que não podem ser feitas mudanças nesses pontos por meio de instrumentos legais inferiores, como uma medida provisória ou um projeto de lei ordinária."

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247