Empresários dizem que Bolsonaro é obstáculo para negócios no Mercosul

Setor privado tenta desde o início do ano estabelecer um diálogo com o governo sobre tarifas aplicadas ao Mercosul e cobram mais transparência nos acordos, mas presidente segue em silêncio sobre o tema

(Foto: Antonio Cruz - Ag. Brasil)

Da revista Fórum – Empresários da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e da Coalização Empresarial Brasileira (CEB) mandaram quatro cartas formais entre maio e outubro deste ano aos ministérios da Economia e de Relações Exteriores de Jair Bolsonaro (PSL) para pedir mais transparência por parte do governo nas negociações com o Mercosul. No entanto, após inúmeras tentativas, Bolsonaro segue em silêncio sobre o tema e postura preocupa empresários.

Em todos os textos, o setor privado pede que o governo promova “consultas públicas” sobre a reforma da Tarifa Externa Comum (TEC), conjunto de impostos de importação aplicados pelos membros do Mercosul (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai).  A reforma da TEC é essencial no setor, sendo considerada uma das que mais afeta o dia a dia das empresas, perdendo só para a tributária.

As cartas não são assinadas não só pela CNI, mas também por suas congêneres na Argentina, Uruguai e Paraguai. 

Leia a íntegra na Fórum

Ao vivo na TV 247 Youtube 247