Entidades entram com ação na Justiça e na Comissão de Valores Mobiliários contra indicação de Paes de Andrade para a Petrobrás

O nomeado não cumpre requisitos técnicos para o cargo, segundo a Federação Única dos Petroleiros e a Associação Nacional dos Petroleiros Acionistas Minoritários da Petrobrás

www.brasil247.com - Caio Paes de Andrade e Petrobrás
Caio Paes de Andrade e Petrobrás (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker | Michel Jesus/Câmara dos Deputados)


247 - A Federação Única dos Petroleiros (FUP) e a Associação Nacional dos Petroleiros Acionistas Minoritários da Petrobrás (Anapetro) emitiram uma nota e informaram que "tomarão medidas judiciais cabíveis para vetar a nomeação" de Caio Paes de Andrade à presidência da Petrobrás. A Anapetro também entrará com processo na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). De acordo com a nota da FUP e da Anapetro, Paes de Andrade não cumpre requisitos técnicos básicos para o cargo, exigidos pela Lei das Estatais. A informação foi publicada nesta sexta-feira (24) pelo jornal Valor Econômico

"Caso o nome de Paes de Andrade seja aprovado no conselho de administração da companhia, em reunião prevista para a próxima segunda-feira, 27, a FUP e sindicatos filiados entrarão com ação popular na Justiça Federal por ato lesivo à administração pública pela indicação de pessoa sem experiência para o cargo", disse a nota. 

"A ação popular vai pedir a anulação da aprovação de Paes de Andrade no Comitê de Elegibilidade e no conselho de administração da companhia e, consequentemente, que seja anulada a convocação da assembleia geral extraordinária, para que a votação de seu nome não ocorra", afirmou o texto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nesta semana, a FUP havia criticado o governo e dito que Bolsonaro quer destruir a imagem da Petrobrás para justificar privatização da empresa

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Políticos oposicionistas no Congresso Nacional vêm criticando a política de preços da Petrobrás. O governo federal indicou a maioria dos nomes do conselho da empresa - são eles que definem os valores dos produtos derivados de petróleo no País. O custo dos combustíveis para os brasileiros, por exemplo, muda de acordo com as variações do petróleo no mercado internacional. Em consequência, principalmente as classes média e pobre estão sendo mais prejudicadas. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A estatal anunciou, na última sexta-feira (17), um reajuste de 5,18% para o litro da gasolina e de 14,21% para o litro do diesel

A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) afirmou que, uma semana após o anúncio dos novos aumentos, o diesel foi vendido ao preço médio de R$ 7,568 por litro no Brasil. A pesquisa encontrou o produto a até R$ 8,950 por litro, na cidade de Cruzeiro do Sul (AC). Na semana anterior aos repasses, o máximo foi R$ 8,630, nos municípios de Irecê e de Valença, na Bahia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O litro da gasolina foi vendido, em média, a R$ 7,390. O valor mais alto foi encontrado em São Paulo: R$ 8,890 por litro, porém menor do que os R$ 8,990 verificados na semana anterior.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email