Equipe de Bolsonaro já discute extinção gradual do BNDES

A equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro discute o grau de encolhimento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) nos próximos quatro anos; já está certo que a instituição reduzirá sua dimensão até 2022 e a dúvida é sobre a velocidade desse processo

Equipe de Bolsonaro já discute extinção gradual do BNDES
Equipe de Bolsonaro já discute extinção gradual do BNDES (Foto: Dir.: Adriano Machado - Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro discute o grau de encolhimento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) nos próximos quatro anos. De acordo com informações do Valor Econômico, já está certo que a instituição reduzirá sua dimensão até 2022 e dúvida é sobre a velocidade desse processo. Dois colaboradores do grupo montado pelo futuro superministro da Economia, Paulo Guedes, defenderam, em artigos e palestras, um enxugamento acelerado do BNDES. Rubem Novaes e Roberto Castello Branco são nomes ventilados para a presidência do banco. O segundo também é cotado para comandar a Petrobrás.

Membros do novo governo, no entanto, têm algumas divergências. Um ala é favorável ao papel relevante ao BNDES no desenvolvimento de um mercado secundário de debêntures, no crédito para pequenas e médias empresas e apoio a startups. Outros veem pensam que extinguir o banco não seria algo imediato, mas um passo recomendável após a conclusão da fase mais aguda do pacote de privatizações da nova administração.

Leia a íntegra no Valor

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247