Eurasia: condenação não afeta candidatura

Uma das principais consultorias do mundo, a Eurasia Group acredita que a chance de o julgamento do TRF4 definir o futuro de Lula é "zero"; a análise é do  cientista político Christopher Garman, diretor para América Latina da consultoria Eurasia Group, em Washington; em relatório enviado a investidores internacionais, a equipe chefiada por Garman prevê que Lula tenha entre 30% e 40% de chances de concorrer à Presidência da República, independentemente do resultado do julgamento; ele acredita, no entanto, que a base de eleitores do ex-presidente não seria suficiente para garantir sua vitória em segundo turno

Uma das principais consultorias do mundo, a Eurasia Group acredita que a chance de o julgamento do TRF4 definir o futuro de Lula é "zero"; a análise é do  cientista político Christopher Garman, diretor para América Latina da consultoria Eurasia Group, em Washington; em relatório enviado a investidores internacionais, a equipe chefiada por Garman prevê que Lula tenha entre 30% e 40% de chances de concorrer à Presidência da República, independentemente do resultado do julgamento; ele acredita, no entanto, que a base de eleitores do ex-presidente não seria suficiente para garantir sua vitória em segundo turno
Uma das principais consultorias do mundo, a Eurasia Group acredita que a chance de o julgamento do TRF4 definir o futuro de Lula é "zero"; a análise é do  cientista político Christopher Garman, diretor para América Latina da consultoria Eurasia Group, em Washington; em relatório enviado a investidores internacionais, a equipe chefiada por Garman prevê que Lula tenha entre 30% e 40% de chances de concorrer à Presidência da República, independentemente do resultado do julgamento; ele acredita, no entanto, que a base de eleitores do ex-presidente não seria suficiente para garantir sua vitória em segundo turno (Foto: Gisele Federicce)

247 - Uma das principais consultorias do mundo, a Eurasia Group acredita que o julgamento do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), realizado em Porto Alegre nesta quarta-feira 24, não afeta a candidatura do ex-presidente Lula, cuja condenação deve ser confirmada.

Para o cientista político Christopher Garman, diretor para América Latina da Eurasia Group, em Washington, a chance de o resultado do julgamento definir o futuro político de Lula é "zero". A análise consta em um relatório enviado a investidores internacionais pela equipe chefiada por Garman, segundo reportagem da BBC Brasil.

O relatório prevê que Lula tenha entre 30% e 40% de chances de concorrer à Presidência da República, independentemente do resultado do julgamento. Garman acredita, no entanto, que a base de eleitores do ex-presidente não seria suficiente para garantir sua vitória em segundo turno. 

"Mesmo que Lula possa concorrer à Presidência, sua base fiel de eleitores provavelmente será insuficiente em um possível segundo turno, dada sua alta taxa de rejeição", aponta o relatório.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247