FUP: Petrobras quer retirar direitos e petroleiros podem parar

Coordenador da Federação Única dos Petroleiros, José Maria Rangel, disse que entre os pontos ameaçados pela Petrobrás estão a remuneração por horas extras e a co-participação nos planos de saúde dos servidores

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik Brasil - Sem acordo, os petroleiros podem cruzar os braços contra a retirada de direitos, afirma à Sputnik Brasil o coordenador da Federação Única dos Petroleiros (FUP), José Maria Rangel.

Petrobras e FUP estão no Tribunal Superior do Trabalho (TST) para tentar chegar a um novo acordo coletivo. Rangel diz que a discussão foi para o TST por decisão da estatal, que pretende o abandonar o atual acordo coletivo, de 2013.

"A proposta da empresa desmonta toda a construção do nosso acordo coletivo, retirando vários direitos que nós conquistamos ao longo de décadas, cláusulas que estão há mais de 20 anos em nosso acordo coletivo", diz Rangel à Sputnik Brasil.

Entre os pontos em discussão, esclarece o dirigente da FUP, estão a remuneração por horas extras e a co-participação nos planos de saúde dos servidores.

A FUP afirmou, por meio de nota, que "representantes dos trabalhadores denunciaram a postura intransigente da empresa durante o processo de negociação" em reunião com o Ministério Público do Trabalho (MPT), que auxilia o processo de mediação do TST. Também na nota, a FUP informa que realizará atos pelo país em 3 de outubro "contra a privatização da empresa".

O atual acordo coletivo em vigor é válido até esta segunda-feira (30) e FUP e Petrobras precisam informar ao TST se aceitam os termos. Caso não haja avanço nas negociações, Rangel diz que a categoria não descarta a possibilidade de uma greve.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email