GGN: consultoria internacional faz inventário de Estatais brasileiras

"Uma pesquisa realizada pela consultoria internacional Roland Berger apontou que a privatização de empresas e outros ativos estatais renderiam entre R$ 400 e R$ 500 bilhões para a União. O levantamento foi divulgado pela Folha de S.Paulo sem informar quem encomendou o estudo", diz texto publicado no jornal GGN; de acordo com a publicação, "aparentemente a Roland Berger fez um trabalho monumental sozinha. Foram avaliadas 496 estatais das quais 219 foram descartadas do cálculo por falta de informações disponíveis e por não serem viáveis de venda"

"Uma pesquisa realizada pela consultoria internacional Roland Berger apontou que a privatização de empresas e outros ativos estatais renderiam entre R$ 400 e R$ 500 bilhões para a União. O levantamento foi divulgado pela Folha de S.Paulo sem informar quem encomendou o estudo", diz texto publicado no jornal GGN; de acordo com a publicação, "aparentemente a Roland Berger fez um trabalho monumental sozinha. Foram avaliadas 496 estatais das quais 219 foram descartadas do cálculo por falta de informações disponíveis e por não serem viáveis de venda"
"Uma pesquisa realizada pela consultoria internacional Roland Berger apontou que a privatização de empresas e outros ativos estatais renderiam entre R$ 400 e R$ 500 bilhões para a União. O levantamento foi divulgado pela Folha de S.Paulo sem informar quem encomendou o estudo", diz texto publicado no jornal GGN; de acordo com a publicação, "aparentemente a Roland Berger fez um trabalho monumental sozinha. Foram avaliadas 496 estatais das quais 219 foram descartadas do cálculo por falta de informações disponíveis e por não serem viáveis de venda" (Foto: Leonardo Lucena)

247 - Uma pesquisa realizada pela consultoria internacional Roland Berger apontou que a privatização de empresas e outros ativos estatais renderiam entre R$ 400 e R$ 500 bilhões para a União. O levantamento foi divulgado pela Folha de S.Paulo sem informar quem encomendou o estudo", diz texto publicado no jornal GGN.

De acordo com a publicação, "aparentemente a Roland Berger fez um trabalho monumental sozinha. Foram avaliadas 496 estatais das quais 219 foram descartadas do cálculo por falta de informações disponíveis e por não serem viáveis de venda".

"A lista final de empresas públicas com potencial para serem vendidas, portanto, são 168 estatais e 109 subsidiárias da União e de todos os Estados - o governo federal com o maior poder arrecadação (71%), algo em torno de R$ 421 bilhões. A maior fatia seria decorrente da venda da Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e do BNDESPar (braço de participação acionária do BNDES)".

Leia a íntegra

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247