Golpe destrói 15 anos de superávits fiscais

Toda a economia feita pelo governo brasileiro desde 1999 a 2014, passando pelos governos FHC, Lula e Dilma, foi jogada fora pela conspiração liderada por Aécio Neves, Eduardo Cunha e Michel Temer; confirmada a nova meta fiscal do governo, o Brasil somará deficits que anularão todo o esforço fiscal acumulado desde o início da adoção das metas de superávit primário, em 1999; o resultado será a explosão da dívida interna, que deve ultrapassar 90% do PIB

meirelles temer
meirelles temer (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A revisão da meta fiscal deixou evidente o fracasso econômico da aliança golpista que tomou o País. 

Confirmadas as novas metas fiscais, o Brasil vai somar déficits que acabarão anulando todo o esforço fiscal acumulado desde o início da adoção de superávit primário, em 1999, pelo governo Fernando Henrique Cardoso. O novo cenário do governo indica que as contas públicas seguirão no vermelho até, pelo menos, o início da próxima década.

De 1999 a 2013, o Brasil acumulou sequência de 15 anos consecutivos de superávit primário. Neste período, o País somou R$ 801,6 bilhões, segundo dados do Banco Central. Nessa década e meia de contas no azul, o governo central - conjunto do governo federal, Previdência e Banco Central — fechou todos os anos no azul mesmo com o crescente rombo no sistema previdenciário. 

Com a previsão anunciada na terça-feira, o saldo negativo que começou há quatro anos terá alcançado R$ 818,6 bilhões em 2020.

O rombo previsto para começar na próxima década vai anular, portanto, completamente o esforço fiscal acumulado em 15 anos de metas de superávit primário.

As informações são de reportagem de Fernando Nakagawa no Estado de S.Paulo.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247