Golpe destrói 15 anos de superávits fiscais

Toda a economia feita pelo governo brasileiro desde 1999 a 2014, passando pelos governos FHC, Lula e Dilma, foi jogada fora pela conspiração liderada por Aécio Neves, Eduardo Cunha e Michel Temer; confirmada a nova meta fiscal do governo, o Brasil somará deficits que anularão todo o esforço fiscal acumulado desde o início da adoção das metas de superávit primário, em 1999; o resultado será a explosão da dívida interna, que deve ultrapassar 90% do PIB

meirelles temer
meirelles temer (Foto: Giuliana Miranda)

247 - A revisão da meta fiscal deixou evidente o fracasso econômico da aliança golpista que tomou o País. 

Confirmadas as novas metas fiscais, o Brasil vai somar déficits que acabarão anulando todo o esforço fiscal acumulado desde o início da adoção de superávit primário, em 1999, pelo governo Fernando Henrique Cardoso. O novo cenário do governo indica que as contas públicas seguirão no vermelho até, pelo menos, o início da próxima década.

De 1999 a 2013, o Brasil acumulou sequência de 15 anos consecutivos de superávit primário. Neste período, o País somou R$ 801,6 bilhões, segundo dados do Banco Central. Nessa década e meia de contas no azul, o governo central - conjunto do governo federal, Previdência e Banco Central — fechou todos os anos no azul mesmo com o crescente rombo no sistema previdenciário. 

Com a previsão anunciada na terça-feira, o saldo negativo que começou há quatro anos terá alcançado R$ 818,6 bilhões em 2020.

O rombo previsto para começar na próxima década vai anular, portanto, completamente o esforço fiscal acumulado em 15 anos de metas de superávit primário.

As informações são de reportagem de Fernando Nakagawa no Estado de S.Paulo.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247