Golpe faz indicador de clima econômico despencar no Brasil

O Indicador de Clima Econômico de julho deste ano do país passou de -11,4 pontos em abril para -45,9 pontos em julho; segundo a FGV, é a segunda queda do índice, que estava em 4,3 pontos em janeiro, em uma escala que varia de -100 (pior avaliação) a +100 pontos (melhor avaliação); resultado foi influenciado tanto pela avaliação dos especialistas sobre a situação atual da economia brasileira quanto em relação às expectativas futura

Golpe faz indicador de clima econômico despencar no Brasil
Golpe faz indicador de clima econômico despencar no Brasil

Vitor Abdala, repórter da Agência Brasil - O Indicador de Clima Econômico de julho deste ano do país passou de -11,4 pontos em abril para -45,9 pontos em julho. Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), é a segunda queda do índice, que estava em 4,3 pontos em janeiro, em uma escala que varia de -100 (pior avaliação) a +100 pontos (melhor avaliação).

O resultado foi influenciado tanto pela avaliação dos especialistas sobre a situação atual da economia brasileira quanto em relação às expectativas futuras. O Índice da Situação Atual atingiu -88 pontos, apenas 12 pontos acima do nível mínimo e abaixo do resultado de abril (-56,5 pontos), mostrando menor satisfação. Já o Índice de Expectativas recuou de 47,8 para 12 pontos.

Na média, o clima da América Latina em julho ficou em -21,1 pontos (abaixo dos -5,2 pontos de abril). Entre os 11 países da região avaliados pela pesquisa, feita em parceria com o instituto alemão Ifo, o Brasil teve o quarto pior Indicador de Clima Econômico, ficando acima apenas da Venezuela (-100 pontos), Equador (-60) e Argentina (-51,3).

O melhor resultado da região foi apresentado pela Colômbia: 31,8 pontos. Entre os Brics, o Brasil teve o pior resultado, abaixo da África do Sul (-45,6 pontos), China (-25), Rússia (-2,3) e Índia (16,6).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247