Governadores reagem a proposta de Bolsonaro e dizem que ICMS não pode ser alterado por 'remendos'

Jair Bolsonaro quer alterar o ICMS sobre combustíveis, arrecadação dos governos estaduais. O governador Eduardo Leite (PSDB-RS) defendeu que uma mudança no ICMS deveria ser feita “em âmbito da reforma tributária, e não por remendos”

Governador Eduardo Leite
Governador Eduardo Leite (Foto: Felipe Dalla Valle/Palacio Piratini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Governadores estão criticando a proposta de Jair Bolsonaro em relação aos impostos. O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), ex-apoiador de Bolsonaro, afirmou que uma mudança no ICMS deveria ser feita “em âmbito da reforma tributária, e não por remendos feitos para resolver demandas e pressões específicas".

Segundo coluna da Gerson Camarotti, no G1, “governadores das cinco regiões do país demonstraram preocupação com a proposta. Eles veem na iniciativa do presidente uma forma de ‘usar o chapéu’ dos estados para fazer acenos aos caminhoneiros”.

A proposta de Bolsonaro é estabelecer um valor fixo do ICMS sobre combustíveis ou a incidência do ICMS sobre o preço dos combustíveis nas refinarias. A proposta do governo federal, porém, alteraria um imposto de arrecadação estadual.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email