Governo Bolsonaro acena com mais arrocho fiscal em 2020

O Orçamento de 2020, que em beve será apresentado pela equipe econômica de Paulo Guedes, vai impor restrições ainda maiores. O governo Bolsonaro acena com mais arrocho fiscal. Calcula que despesas consideradas não obrigatórias terão de ficar abaixo das deste ano, o que implicará mais arrocho para a população e menor crescimento econômico

(Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Orçamento de 2020, que em beve será apresentado pela equipe econômica de Paulo Guedes, vai impor restrições ainda maiores. 

O governo Bolsonaro acena com mais arrocho fiscal. Calcula que despesas consideradas não obrigatórias terão de ficar abaixo das deste ano, o que implicará mais arrocho para a população e menor crescimento econômico.  

A proposta de Orçamento para 2020 deve ter uma restrição de recursos ainda maior do que a observada em 2019, aponta reportagem do jornalista Fábio Pupo na Folha de S.Paulo.

 O governo calcula que as chamadas despesas discricionárias (as não obrigatórias) terão que ficar abaixo do patamar registrado neste ano.    

"Os números ainda estão sendo fechados pelo governo, mas apontam para uma maior limitação mesmo considerando os contingenciamentos deste ano. E com um agravante. O problema de 2020 estará no cumprimento da regra do teto de gastos e, por isso, não haveria alívio mesmo se fossem obtidas receitas extras", informa a reportagem.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247