Governo publica medida com correção escalonada do IR

Segundo a Medida Provisória 670, publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira, a faixa de isenção e a faixa de alíquota de 7,5 por cento terão reajuste de 6,5 por cento; isso beneficiará cerca de 16 milhões de contribuintes, disse o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, na noite de terça-feira ao anunciar o acordo

Brasília- DF- Brasil- 09/03/2015- Ministro da Fazenda, Joaquim Levy, participa da cerimônia de abertura da 2a Semana Nacional de Educação Financeira do Sebrae. (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Brasília- DF- Brasil- 09/03/2015- Ministro da Fazenda, Joaquim Levy, participa da cerimônia de abertura da 2a Semana Nacional de Educação Financeira do Sebrae. (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) (Foto: Roberta Namour)

(Reuters) - O governo editou na terça-feira a Medida Provisória 670 com a correção escalonada da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física, conforme acordo acertado entre o Executivo e o Congresso Nacional.

Segundo a MP, publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira, a faixa de isenção e a faixa de alíquota de 7,5 por cento terão reajuste de 6,5 por cento. Isso beneficiará cerca de 16 milhões de contribuintes, disse o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, na noite de terça-feira ao anunciar o acordo.

Para a faixa com alíquota de 15 por cento, o reajuste será de 5,5 por cento; para faixa de 22,5 por cento, a correção será de 5 por cento; e para faixa com alíquota de 27,5 por cento, o reajuste será de 4,5 por cento.

Com isso, um veto da presidente Dilma Rousseff que impede a correção integral da tabela em 6,5 por cento deve ser mantido pelos parlamentares.

A nova tabela valerá a partir de abril.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247