Governo recua e alta de tributo sobre etanol fica menor

Governo reduzirá alíquota do PIS/Confins sobre o etanol distribuidor para 0,1109 real por litro, ante 0,1964 real; na semana passada, o governo promoveu forte elevação nas alíquotas de PIS/Cofins sobre combustíveis, prevendo injeção total de 10,4 bilhões de reais nos cofres públicos, com o objetivo de assegurar o cumprimento da meta fiscal em meio à ainda cambaleante recuperação econômica

Governo reduzirá alíquota do PIS/Confins sobre o etanol distribuidor para 0,1109 real por litro, ante 0,1964 real; na semana passada, o governo promoveu forte elevação nas alíquotas de PIS/Cofins sobre combustíveis, prevendo injeção total de 10,4 bilhões de reais nos cofres públicos, com o objetivo de assegurar o cumprimento da meta fiscal em meio à ainda cambaleante recuperação econômica
Governo reduzirá alíquota do PIS/Confins sobre o etanol distribuidor para 0,1109 real por litro, ante 0,1964 real; na semana passada, o governo promoveu forte elevação nas alíquotas de PIS/Cofins sobre combustíveis, prevendo injeção total de 10,4 bilhões de reais nos cofres públicos, com o objetivo de assegurar o cumprimento da meta fiscal em meio à ainda cambaleante recuperação econômica (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

BRASÍLIA (Reuters) - O governo reduzirá alíquota do PIS/Confins sobre o etanol distribuidor para 0,1109 real por litro, ante 0,1964 real, informou nesta sexta-feira à Reuters uma fonte com conhecimento sobre o assunto, movimento que reduzirá a receita esperada para este ano em 500 milhões de reais.

Na véspera, a Reuters já havia adiantado que o governo reduziria a alíquota do imposto para etanol.

A alíquota do etanol ao produtor não será alterada, segundo a fonte, e permanecerá em 0,1309 real por litro.

Na semana passada, o governo promoveu forte elevação nas alíquotas de PIS/Cofins sobre combustíveis, prevendo injeção total de 10,4 bilhões de reais nos cofres públicos, com o objetivo de assegurar o cumprimento da meta fiscal em meio à ainda cambaleante recuperação econômica.

Houve questionamento de que as alíquotas não poderiam ser superiores a 9,25 por cento do preço médio de venda no varejo do etanol.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247