IBGE: setor de serviços tem tombo recorde de 7,8% em 2020

Em dezembro, o setor recuou 0,2% em relação a novembro. Na comparação com dezembro de 2019, a queda foi de 3,3%, a 10ª taxa negativa seguida nessa base de análise

Mulher faz compras em loja de roupas em Luís Eduardo Magalhães (BA)
Mulher faz compras em loja de roupas em Luís Eduardo Magalhães (BA) (Foto: REUTERS/Ricardo Moraes)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quinta-feira (11) que o volume de serviços prestados no Brasil despencou 7,8% em 2020, na comparação com o ano anterior. Foi a maior queda desde o início da série histórica da pesquisa, em 2012. 

Em dezembro, o setor recuou 0,2% em relação a novembro. Na comparação com dezembro de 2019, a queda foi de 3,3%, a 10ª taxa negativa seguida nessa base de análise.

De novembro para dezembro de 2020, apenas duas das cinco atividades investigadas tiveram queda: os serviços prestados às famílias (-3,6%) e os transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-0,7%). 

Os dois setores foram os mais afetados pela pandemia de Covid-19 em razão doe isolamento social, o que provocou o fechamento de estabelecimentos não essenciais e uma redução no fluxo de pessoas em circulação. Por consequência, os serviços prestados em caráter presencial, sobretudo os voltados às famílias (restaurantes, hotéis, academias, salões de beleza, etc.) e o de transportes de passageiros (aéreo, rodoviário e metroferroviário) encontraram mais dificuldades em retornar ao patamar de fevereiro de 2020.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email