Ibovespa sobe 2,7%, dólar cai 3% e vai a R$ 5,21

Mercado tem dia de otimismo com flexibilização do isolamento social e diálogo entre Executivo e Congresso

(Foto: © Paulo Whitaker / Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Infomoney - O Ibovespa fechou em forte alta nesta terça-feira (2) com alívio político após informações de que o presidente Jair Bolsonaro pagou R$ 6,2 bilhões em emendas parlamentares em abril, o que mostra um aceno ao Centrão que reduz substancialmente a temperatura do conflito institucional que tomou conta do noticiário nas últimas semanas.

Além disso, os investidores também se animaram com o início da flexibilização da quarentena no Brasil, que segue diversos países do mundo na reabertura de comércios, indústrias e outros negócios, embora a evolução de novos casos e mortes pela Covid-19 no País ainda não esteja desacelerando.

O Ibovespa subiu 2,74% a 91.046 pontos com volume financeiro negociado de R$ 29,394 bilhões. Com isso, o índice registrou seu maior nível desde 10 de março deste ano, quando o benchmark fechou cotado em 92.214 pontos. A quarentena começou a ser adotada por governadores como os de São Paulo e do Rio de Janeiro em 23 de março.

Já o dólar futuro para julho opera em queda de 3,01% a R$ 5,213 no after-market. O dólar comercial, por sua vez, caiu 3,23%, a R$ 5,2087 na compra e R$ 5,2104 na venda, em seu maior recuo diário desde 8 de junho de 2018.

Depois do real ser a moeda de mercado emergente com pior desempenho do mundo na véspera, o Banco Central vendeu US$ 530 milhões de suas reservas para conter a pressão, o que se reflete no câmbio hoje.

Em destaque no radar político, o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), arquivou o pedido de partidos para que fossem apreendidos celulares do presidente Jair Bolsonaro e do filho, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ). O arquivamento também funcionou como fator para conter a valorização do dólar ante o real.

Outro ponto político bem visto pelos investidores é a distribuição de emendas parlamentares pelo governo Bolsonaro, mostrando que o Executivo está disposto a negociar com o Centrão para manter a máquina pública funcionando.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2022 caiu 10 pontos-base a 3,04%, o DI para janeiro de 2023 registrou perdas de 16 pontos-base a 4,06% e o DI para janeiro de 2025 recuou 22 pontos-base a 5,74%.

Mesmo nos Estados Unidos, as notícias de flexibilização do isolamento social ofuscaram quaisquer tensões políticas decorrentes das manifestações globais antirracismo.

Os protestos começaram na semana passada após o assassinato de George Floyd, um homem negro, desarmado, pela polícia de Minneapolis. Como destaca o gestor Bruno Marques, da XP Asset, o impacto disso no mercado se dará mais pelas consequências políticas de longo prazo do que pelas tensões no curto prazo.

Também ajudando a animar as bolsas esteve a notícia de que exportadores de soja dos Estados Unidos venderam várias cargas para clientes estatais chineses, segundo pessoas com conhecimento do assunto ouvidas pela Bloomberg. É um sinal de que algumas transações ainda são mantidas mesmo com a tensão entre os dois países.

No mercado de commodities, o preço do petróleo avança com a negociação entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e a Rússia para ampliar o período de corte na produção de petróleo.

A Arábia Saudita sinalizou que deve manter a produção sob controle por mais um a três meses, o que contribui para a valorização da commodity. O WTI subiu 4,01%, a US$ 36,86 o barril e o Brent – usado como referência pela Petrobras – teve alta de 3,39% a US$ 39,62.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email