Ibovespa sobe puxado por Petrobras e Vale, e dólar cai a R$ 5,35

Às 14:40, o Ibovespa subia 1,14 %, a 107.640,17 pontos. Na máxima, chegou a 107.810,31 pontos, maior patamar intradiário desde 4 de março

(Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa abandonava o sinal negativo e renovava máximas desde março na tarde desta terça-feira, se aproximando dos 108 mil pontos, com a Vale renovando níveis recordes e puxando reação com alta de quase 5%, apesar da fraqueza em Wall Street.

Às 14:40, o Ibovespa subia 1,14 %, a 107.640,17 pontos. Na máxima, chegou a 107.810,31 pontos, maior patamar intradiário desde 4 de março. O volume financeiro somava 18,7 bilhões de reais.

Já o dólar o dólar comercial tem queda de 1,51% a R$ 5,354 na compra e a R$ 5,355 na venda. O dólar futuro com vencimento em dezembro registrava baixa de 1,16%, a R$ 5,358.

Dados da B3 também continuam mostrando entrada líquida de estrangeiros em novembro, com o saldo do mês até momento em 17,8 bilhões de reais. No ano, apenas junho (1,9 bilhão de reais) e agosto (1,5 bilhão de reais) e outubro (2,9 bilhões de reais) tiveram saldo positivo.

Na visão do superintendente da mesa de operações da Necton, Marco Tulli, a bolsa reflete entradas veementes de estrangeiros desde o fim de outubro e começo de novembro, com os resultados acima do esperado de muitas companhias.

“E de pano de fundo ainda há percepções de que uma segunda onda de coronavírus tende a ser mais branda no Brasil em razão da época do ano, de temperaturas mais elevadas, bem como os protocolos médicos estão mais conhecidos”, acrescentou.

Muitos agentes financeiros também têm destacado uma rotação de setores em carteiras de investimentos na bolsa, alinhada a outros mercados emergentes, bem como um ambiente de notícias promissoras sobre uma vacina contra o Covid-19.

Nesta terça-feira, Vale ON subia 4,85%, chegando a 68,10 reais no melhor momento, máxima histórica intradia, apoiada na alta dos futuros do minério de ferro na China, um dia após a BNDESPar embolsar 2,5 bilhões de reais com a venda de 40 milhões de papéis da mineradora.

Petrobras PN também mostrava valorização relevante, de 3,3%, apesar da fraqueza dos preços do petróleo. Bradesco PN e Itaú Unibanco PN afastavam-se das mínimas, reforçando o movimento de melhora no índice da bolsa paulista.

Na ponta negativa, Notre Dame Intermédica ON caía 3,4%, mesmo após salto no lucro líquido do terceiro trimestre, tendo no radar o IPO da Rede D’Or São Luiz, que pode ser a maior oferta inicial de ações do ano.

O pregão ainda tinha de pano de fundo forte queda do dólar em relação ao real, refletindo percepção de investidores de que o Banco Central deixou porta aberta para oferta líquida de swaps cambiais tradicionais até o fim do ano.

Nos Estados Unidos, Wall Street experimentava uma pausa nos ganhos, após o S&P 500 e o Dow Jones renovarem máximas históricas para o fechamento na véspera.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247