Incinerada na Lava Jato, OAS negocia parceria com empresa chinesa

OAS está negociando com a fabricante chinesa de máquinas pesadas Xuzhou Construction Machinery Group a formação de uma joint venture para o setor de construção na África e na América Latina, segundo uma fonte com conhecimento direto sobre o assunto; de acordo com a fonte ouvida pela Reuters, a OAS entraria com expertise em projetos de construção civil e engenharia e uma série de contratos fora do Brasil; parceria seria o primeiro passo importante nos esforços da OAS para se reerguer quase três anos depois de ser envolvida na Lava Jato

empreiteira, oas
empreiteira, oas (Foto: Aquiles Lins)

(Reuters) - A OAS está negociando com a fabricante chinesa de máquinas pesadas Xuzhou Construction Machinery Group a formação de uma joint venture para o setor de construção na África e na América Latina, segundo uma fonte com conhecimento direto sobre o assunto.

De acordo com a fonte, a OAS entraria com expertise em projetos de construção civil e engenharia e uma série de contratos fora do Brasil.

Já a chinesa, também conhecida como XCMG, contribuiria com capital, equipamentos e financiamento para o empreendimento.

A parceria seria o primeiro passo importante nos esforços da OAS para se reerguer quase três anos depois de ser envolvida na Lava Jato.

Em 2015, a OAS tornou-se a primeira entre grandes construtoras do Brasil a declarar falência depois de ter sido alvo de acusação de pagar propinas a políticos para ganhar contratos lucrativos em empresas estatais.

As duas empresas veem o empreendimento prosperar na África, onde as companhias de construção brasileiras têm uma base estável de clientes, acrescentou a fonte.

Os termos legais do empreendimento, ou se envolverá qualquer investimento em dinheiro ou participação cruzada, permanecem em discussão, disse a fonte.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247