Inflação caminha em direção à meta em 2018, diz Ilan em carta aberta

A informação foi dada pelo presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, em carta aberta ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, na qual justificou que o IPCA abaixo do alvo oficial em 2017 ocorreu por conta do choque de preço de alimentos; o chefe do BC acrescentou que a condução da política monetária continuará dependendo de diversos fatores, entre eles projeções e expectativas de preços; “O BC seguiu os bons princípios no gerenciamento da política monetária e não reagiu ao impacto primário desse choque de alimentos, permitindo a queda da inflação para abaixo da meta”, afirmou

Brasília - O novo presidente do BC, Ilan Goldfajn participa da Cerimônia de transferência do cargo de presidente do Banco Central (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Brasília - O novo presidente do BC, Ilan Goldfajn participa da Cerimônia de transferência do cargo de presidente do Banco Central (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) (Foto: Leonardo Lucena)

BRASÍLIA (Reuters) - A inflação já caminha em direção à meta oficial em 2018, afirmou nesta quarta-feira o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, acrescentando que a condução da política monetária continuará dependendo de diversos fatores, entre eles projeções e expectativas de preços.

“O BC seguiu os bons princípios no gerenciamento da política monetária e não reagiu ao impacto primário desse choque de alimentos, permitindo a queda da inflação para abaixo da meta”, afirmou Ilan em carta aberta ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, na qual justificou que o IPCA abaixo do alvo oficial em 2017 ocorreu por conta do choque de preço de alimentos.

O IPCA fechou 2017 em 2,95 por cento, abaixo da meta de 4,5 por cento, com margem de tolerância de 1,5 ponto para mais ou para menos, que também vale para 2018.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247