Itaú: economia com Previdência será menor que a prevista pelo governo

Cálculos realizados pelo Itaú Unibanco contradizem a versão do governo sobre a economia gerada pela reforma da Previdência; segundo a instituição financeira, as mudanças na proposta original terão um impacto bem mais tímido, levando a uma economia de R$ 431 bilhões, ante R$ 755 bilhões previstos com o texto original, até 2025

Brasília - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles reúne-se com a bancada do partido Democratas (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Brasília - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles reúne-se com a bancada do partido Democratas (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) (Foto: Giuliana Miranda)

247 - As mudanças na proposta original da reforma da Previdência gerarão uma economia menor do que a estimada pelo governo, de acordo com cálculos do Itaú Unibanco.

Segundo o Itaú, as alterações mantêm 57% da proposta original para a reforma da Previdência, e levarão a uma economia de R$ 431 bilhões, ante R$ 755 bilhões previstos com o texto original, até 2025.

As informações são de reportagem de Eulina Oliveira na Folha de S.Paulo.

"As projeções do governo são de uma economia de R$ 630 bilhões com as mudanças, de um valor original de R$ 818 bilhões.

Além disso, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse nesta terça-feira (18), que a Câmara votará um texto que representa entre 70% e 80% da proposta original do governo.

O texto final está sendo apresentado nesta quarta-feira (19) pelo relator, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), à comissão especial da Câmara que analisa a reforma.

De acordo com o Itaú, as alterações no projeto original equivalem a um impacto de 1,1 ponto percentual do PIB (Produto Interno Bruto) em 2025, comparando-se a um cenário sem nenhuma reforma aprovada."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247