Itaú mostra que a decepção com Bolsonaro é profunda

"Previsões econômicas costumam ser alteradas, não é novidade. Mas é impressionante o grau de redução das expectativas para a economia divulgado agora há pouco pelo Banco Itaú. É quase cortar à metade o que se previa no início do ano", diz Fernando Brito, editor do Tijolaço

Itaú mostra que a decepção com Bolsonaro é profunda
Itaú mostra que a decepção com Bolsonaro é profunda

Por Fernando Brito, editor do Tijolaço Previsões econômicas costumam ser alteradas, não é novidade. Mas é impressionante o grau de redução das expectativas para a economia divulgado agora há pouco pelo Banco Itaú, casa bancária de onde veio o até pouco tempo atrás presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn.

É quase cortar à metade o que se previa no início do ano.

E, diria o outro, "por enquanto", porque o banco diz que "os índices de confiança apresentaram recuo generalizado em março e indicam risco de arrefecimento adicional da atividade à frente."

Ninguém descarte que logo estejamos perto do 0% de crescimento.

Sabe como é, o próprio presidente diz que não entende nada de economia.

O problema é que as nossas autoridades econômicas, ao que parece, também não, pois preferem apostar em fatores econômicos tipo "brilho nos olhos", "instinto animal"e outras bobagens do tipo.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247