Judiciário libera feirão de Pedro Parente

A Petrobras informou que foi suspensa nesta quinta-feira, pelo Tribunal Regional Federal da 5ª região, a liminar que determinava a paralisação da alienação de 90% da participação acionária detida pela companhia na Nova Transportadora do Sudeste (NTS); com a decisão favorável da Justiça, a companhia poderá prosseguir com a operação de venda da fatia na transportadora de gás para um consórcio liderado pela Brookfield, em negócio de US$ 5,19 bilhões, que é duramente questionado pelos petroleiros

A Petrobras informou que foi suspensa nesta quinta-feira, pelo Tribunal Regional Federal da 5ª região, a liminar que determinava a paralisação da alienação de 90% da participação acionária detida pela companhia na Nova Transportadora do Sudeste (NTS); com a decisão favorável da Justiça, a companhia poderá prosseguir com a operação de venda da fatia na transportadora de gás para um consórcio liderado pela Brookfield, em negócio de US$ 5,19 bilhões, que é duramente questionado pelos petroleiros
A Petrobras informou que foi suspensa nesta quinta-feira, pelo Tribunal Regional Federal da 5ª região, a liminar que determinava a paralisação da alienação de 90% da participação acionária detida pela companhia na Nova Transportadora do Sudeste (NTS); com a decisão favorável da Justiça, a companhia poderá prosseguir com a operação de venda da fatia na transportadora de gás para um consórcio liderado pela Brookfield, em negócio de US$ 5,19 bilhões, que é duramente questionado pelos petroleiros (Foto: Gisele Federicce)

SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras informou que foi suspensa nesta quinta-feira, pelo Tribunal Regional Federal da 5ª região, a liminar que determinava a paralisação da alienação de 90 por cento da participação acionária detida pela companhia na Nova Transportadora do Sudeste (NTS).

Com a decisão favorável da Justiça, a companhia poderá prosseguir com a operação de venda da fatia na transportadora de gás para um consórcio liderado pela Brookfield, em negócio de 5,19 bilhões de dólares.

A transação, a maior do programa 2015-2016 de desinvestimentos da Petrobras, já havia sido aprovada em assembleia de acionistas em dezembro.

Ao todo, a estatal fechou negócios de 13,6 bilhões de dólares no biênio, com vistas a reduzir seu elevado endividamento.

Em meados do mês passado, a Petrobras também havia conseguido reverter uma decisão judicial que impedia a venda de outros ativos.

O mesmo TRF retirou a suspensão da venda da Petroquímica Suape e da Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco (Citepe), anunciada em dezembro pela empresa.

Com a nova decisão judicial, a estatal conseguiu reverter mais uma ação movida pelo Sindicato dos Petroleiros Alagoas Sergipe (Sindipetro AL/SE), entidade que tem se posicionado fortemente contra o programa de ativos da estatal.

(Por Roberto Samora)

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247