Justiça do Amazonas obriga governo federal a prorrogar auxílio de R$ 300 no estado

O pagamento do benefício, concedido ao longo do ano passado em razão da crise gerada pela pandemia do novo coronavírus, terminou em dezembro de 2020

(Foto: Bruno Kelli/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - A Justiça Federal do Amazonas determinou que o governo federal pague pois mais dois meses auxílio emergencial de R$ 300 para moradores do estado. 

O pagamento do benefício, concedido ao longo do ano passado em razão da crise gerada pela pandemia do novo coronavírus, terminou em dezembro de 2020. 

Segundo a Justiça, a bolsa deve ser fornecida em razão do novo surto da Covid-19 no Amazonas. Janeiro foi o pior mês da pandemia no estado. 

No início do ano, Manaus sofreu com o colapso do sistema de saúde devido ao aumento do número de casos do doença. No interior do Amazonas, também houve alta de contágios e internações. 

A decisão é do juiz federal Ricardo Augusto de Sales, que determinou multa diárias de R$ 100 em caso de descumprimento. A medida foi uma resposta a um pedido da Defensoria Pública da União (DPU), ajuizado no dia 18 de janeiro.

Inicialmente, o auxílio emergencial pago pelo governo era de R$ 600. Nos últimos meses de 2020, porém, o benefício foi cortado pela metade. 

Isolamento e proteção social

Embora muitos especialistas, políticos e organizações sociais tenham defendido a necessidade da prorrogação da bolsa em 2021, o governo vem afirmando que não pagará mais o benefício. 

No caso do Amazonas, a Justiça deu prazo de até 15 dias para que o pagamento comece a ser efetuado, "desde que o beneficiário ainda atenda aos requisitos estabelecidos", segundo publicado pelo portal G1. 

Segundo a Defensoria, além das medidas de restrição à circulação, reintroduzidas no estado, é indispensável dar uma proteção social para as camadas mais vulneráveis por meio do auxílio, para que a população possa "realizar o isolamento social, sem colocar em risco sua sobrevivência e de suas famílias".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email