Leilão do pré-sal tem novo fracasso: quatro dos cinco blocos não recebem propostas

A Petrobrás, em consórcio com a chinesa CNODC, apresentou a única oferta do leilão, e arrematou o bloco de Aram, na Bacia de Santos. Por consequência, a arrecadação da 6ª Rodada de Partilha de Produção, que poderia chegar a R$ 7,85 bilhões, ficou em R$ 5,05 bilhões. É o segundo dia seguido de fracasso do governo Jair Bolsonaro no leilão do pré-sal

247 - Quatro dos cincos blocos do leilão do pré-sal realizado nesta quinta-feira (7) pela A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) não receberam propostas. A Petrobrás, em consórcio com a chinesa CNODC, apresentou a única oferta do leilão, e arrematou o bloco de Aram, na Bacia de Santos. Por consequência, a arrecadação da 6ª Rodada de Partilha de Produção, que poderia chegar a R$ 7,85 bilhões, ficou em R$ 5,05 bilhões, o que representa 64,3% do total esperado. 

O diretor-geral da ANP, Décio Oddone, disse ter ficado surpreso com o resultado. “Estou surpreendido, sim. Esperava que houvesse a contratação dessas três áreas [pelas quais a Petrobras manifestou direito de preferência]", apontou. "Mas isso não tira o brilho do conjunto da obra dos leilões que realizamos este ano. O que foi contratado já garante a retomada da indústria”.

É o segundo dia de fracasso seguido do governo no leilão do pré-sal. Nesta quarta-feira (6), somente dois dos quatro blocos foram adquiridos. O governo esperava arrecadar R$ 100,6 bilhões, mas a cifra bateu R$ 69,9 bilhões.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247