Mantega nega aumento de combustíveis

"Não é certo que a Petrobras tenha aumento. Não sei quem falou isso, não há decisão nenhuma a esse respeito, portanto, não há aumento previsto", disse o ministro da Fazenda; sobre a alta do dólar, afirmou que caso o momento perdure por muito tempo, o governo poderá agir nas tarifas de importação

Brasília - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, durante entrevista,  anuncia redução do imposto de importação para mais de cem produtos
Brasília - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, durante entrevista, anuncia redução do imposto de importação para mais de cem produtos (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bruno Bocchini
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – O ministro da Fazenda, Guido Mantega, negou hoje (26) que haja previsão de aumento dos combustíveis vendidos pela Petrobras. Segundo ele, não há alta prevista e a inflação está sob controle.

"A dona de casa pode ficar tranquila que [a inflação] está sob controle. Não permitiremos que haja grandes repasses [de preços] ou que haja contágio da questão cambial na inflação. Não é certo que a Petrobras tenha aumento. Não sei quem falou isso, não há decisão nenhuma a esse respeito, portanto, não há aumento previsto", disse o ministro, após encontro com líderes empresariais.

Quanto ao preço do dólar, Mantega ressaltou que, diferentemente do que ocorreu no ano passado, quando o governo tomou medidas para elevar o valor da moeda estrangeira, no momento, o mercado é que está sendo responsável pela desvalorização do real.

No entanto, destacou Mantega, caso o momento de alta do dólar perdure por muito tempo, o governo poderá agir nas tarifas de importação. "Temos de ver primeiro a duração [da alta do dólar]. Pode durar um tempo curto e acabar. Se durar um tempo mais longo, veremos o que tem de ser feito. Por exemplo, redução de tarifa de importação de produtos, de modo a contrabalançar a elevação. Isso será feito", afirmou.

Edição: Nádia Franco

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email