Marco de gestões do PT, PAC deixará de receber novos projetos

O Ministério da Economia, comandado por Paulo Guedes, decidiu que o PAC, criado em 2007 no governo Lula, deixará de receber novos projetos; a medida se alinha com uma agenda que prevê o "esvaziamento" do Estado brasileiro e reduz a participação direta do governo em investimentos de infraestrutura

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério da Economia, comandado por Paulo Guedes, decidiu que o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), criado em 2007 no governo de Luiz Inácio Lula da Silva, deixará de receber novos projetos. A medida se alinha com uma agenda que prevê o "esvaziamento" do Estado brasileiro e reduz a participação direta do governo em investimentos de infraestrutura somada à falta de agenda concreta para o aumento do nível de consumo e do crescimento econômico.

O valor destinado às obras do PAC caiu 52% desde o auge de 2014, para R$ 27,5 bilhões em 2018. Os empreendimentos do programa representavam 1% do PIB em 2014 e desceu para 0,4% no ano passado.

O ministério confirmou a medida, por meio da assessoria de imprensa. "O PAC não receberá novos projetos", diz trecho da nota enviada pela pasta.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247