Meirelles pode fazer da Fazenda um trampolim para projeto presidencial

Nome indicado para a Fazenda de um eventual governo de Michel Temer, o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles nunca escondeu suas ambições políticas; em 2010, Meirelles sonhou ser indicado pelo PMDB, sua legenda na época, para vice da chapa de Dilma Rousseff, com o apoio do ex-presidente Lula, mas Temer se impôs e ficou com a vaga; seus aliados sugerem que agora ele faça do novo cargo no Ministério da Fazenda um trampolim para viabilizar uma candidatura presidencial em 2018

Nome indicado para a Fazenda de um eventual governo de Michel Temer, o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles nunca escondeu suas ambições políticas; em 2010, Meirelles sonhou ser indicado pelo PMDB, sua legenda na época, para vice da chapa de Dilma Rousseff, com o apoio do ex-presidente Lula, mas Temer se impôs e ficou com a vaga; seus aliados sugerem que agora ele faça do novo cargo no Ministério da Fazenda um trampolim para viabilizar uma candidatura presidencial em 2018
Nome indicado para a Fazenda de um eventual governo de Michel Temer, o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles nunca escondeu suas ambições políticas; em 2010, Meirelles sonhou ser indicado pelo PMDB, sua legenda na época, para vice da chapa de Dilma Rousseff, com o apoio do ex-presidente Lula, mas Temer se impôs e ficou com a vaga; seus aliados sugerem que agora ele faça do novo cargo no Ministério da Fazenda um trampolim para viabilizar uma candidatura presidencial em 2018 (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Nome indicado para a Fazenda de um eventual governo de Michel Temer, o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles nunca escondeu suas ambições políticas.

Em 2010, Meirelles sonhou ser indicado pelo PMDB, sua legenda na época, para vice da chapa de Dilma Rousseff, com o apoio do ex-presidente Lula, mas Temer se impôs e ficou com a vaga. Pulou de sigla em sigla com filiações a três legendas nos últimos 14 anos e hoje está no PSD.

Seus aliados sugerem que agora ele faça do novo cargo no Ministério da Fazenda um trampolim para viabilizar uma candidatura presidencial em 2018. “Frio com números e ambicioso na política”, o descrevem, segundo reportagem de Sérgio Roxo.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247