Meirelles sugere acabar com o abono salarial

Plano de Henrique Meirelles é acabar com o abono salarial a fim de assegurar a fixação de um teto para gastos do governo; benefício, criado há 46 anos, é dado aos trabalhadores que recebem até dois salários mínimos; proposta consta no texto da PEC que ainda passará pelo aval do presidente interino, Michel Temer

Brasília - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles participa da Cerimônia de transferência do cargo de presidente do Banco Central (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Brasília - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles participa da Cerimônia de transferência do cargo de presidente do Banco Central (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) (Foto: Paulo Emílio)

247 - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, planeja acabar com o abono salarial, benefício crido há 46 anos e que é concedido aos trabalhadores que ganham até dois salários mínimos, para assegurar a fixação de um teto para gastos do governo.

A alteração está no texto de Proposta de Emenda à Constituição (PEC) encaminhada pela equipe econômica ao Palácio do Planalto, segundo reportagem publicada no Estado de S. Paulo.

Segundo o jornal, tão logo a PEC seja promulgada, serão revogadas as vinculações constitucionais do PIS e do PASEP para o financiamento do abono. A proposta ainda será avaliada pelo presidente interino Michel Temer e deverá levar em consideração a viabilidade política de sua provação pelo Congresso.

O texto da PEC prevê que seja criado um teto para fixar os gastos do governo por um período de 20 anos, podendo ser alterada a partir do décimo ano em que entrar em vigor.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247