Mercadante: Brasil precisa do auxílio de R$ 600 enquanto houver pandemia

O ex-ministro Aloizio Mercadante afirmou que "os R$ 600 têm que ficar enquanto tiver pandemia, porque precisamos de uma lei em defesa da vida. Não há alternativa. E as pessoas que não têm renda não têm como se defender e ficar em isolamento social"

Aloizio Mercadante
Aloizio Mercadante (Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-ministro da Educação Aloizio Mercadante (PT) defendeu nesta segunda-feira (13), em entrevista concedida ao portal UOL, que o auxílio-emergencial de R$ 600 deve continuar enquanto durar a pandemia do novo coronavírus. 

Ele afirmou que "os R$ 600 têm que ficar enquanto tiver pandemia, porque precisamos de uma lei em defesa da vida. Não há alternativa. E as pessoas que não têm renda não têm como se defender e ficar em isolamento social. 

Mercadante também criticou a escolha do pastor Milton Ribeiro para comandar o MEC (Ministério da Educação). 

"O MEC tem que tratar com respeito e acolher e combater todas as formas de preconceito. Isso não é ser de esquerda, isso é ser humanista", afirmou na entrevista aos colunistas Leonardo Sakamoto e Carla Araújo.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email