Mercadante: desemprego real no Brasil já é superior a 20%

“Esse modelo neoliberal ortodoxo não responde a essa crise, é impossível sair nos marcos dessa ortodoxia fiscal”, afirmou o ex-ministro Aloizio Mercadante em entrevista à TV 247. Assista

Aloizio Mercadante
Aloizio Mercadante (Foto: Felipe L. Gonçalves/Brasil247 | Marcello Casal/Arquivo/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-ministro Aloizio Mercadante disse à TV 247 que a taxa de desemprego real no Brasil já é maior que 20%. Isso porque devem ser considerados também neste cálculo os brasileiros em desalento, ou seja, que estão desempregados e que nem mais buscam por uma vaga de trabalho.

“A taxa de desemprego hoje não mede o que está acontecendo no mundo do trabalho. Você tem que juntar a taxa de desemprego com o desalento. O que é o desalento? São aqueles que não estão trabalhando mas não estão procurando emprego. A taxa de desemprego está em torno de 11 ou 12 milhões de pessoas e a de desalento está em 17,7 milhões. Se você juntar isso, não é 13% a taxa de desemprego, é 21%. Um em cada cinco trabalhadores está desempregado, e 10,5 milhões estão com o contrato de trabalho suspenso”, detalhou.

Para Mercadante, não há saída para a crise com o modelo econômico neoliberal do ministro da Economia, Paulo Guedes, e com o teto de gastos imposto pelo Congresso Nacional ao país. “Não vejo a menor possibilidade de uma saída dessa situação com essa visão neoliberal e ortodoxia fiscal. O Paulo Guedes quer aproveitar a crise e desmontar o Estado brasileiro, impor o que sempre foi o seu projeto, que é vender todo o patrimônio. Esse modelo neoliberal ortodoxo não responde a essa crise, é impossível sair nos marcos dessa ortodoxia fiscal”.

Inscreva-se na TV 247 e assista à fala de Mercadante: 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247