Meta de Temer pode não passar no Congresso

Nem mesmo a base aliada de Michel Temer deve facilitar a vida do peemedebista na hora de aprovar o aumento do rombo nos Orçamentos de 2017 e 2018 para R$ 159 bilhões; o governo tem contra si a insatisfação dos aliados na CMO (Comissão Mista de Orçamento), onde começa a tramitar a proposta de revisão da meta fiscal, que já ameaçam barrar as mudanças

Presidente Michel Temer 13/07/2017 REUTERS/Adriano Machado
Presidente Michel Temer 13/07/2017 REUTERS/Adriano Machado (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Michel Temer enfrentará dificuldades para aprovar no Congresso o aumento do rombo nos Orçamentos de 2017 e 2018 para R$ 159 bilhões. O governo tem contra si a insatisfação dos aliados na CMO (Comissão Mista de Orçamento), onde começa a tramitar a proposta de revisão da meta fiscal.

Os membros do colegiado estão irritados por causa da série de vetos do presidente à LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2018, aprovada antes do recesso de julho.

"Um governo arrogante e prepotente é sinônimo de governo fracassado. A ideia não é retaliar. Mas não há como negar que esta atitude insensível, para não dizer irresponsável do governo, criou conflito desnecessário", disse o senador Dário Berger (PMDB-SC), presidente da comissão.

Foram vetados, por exemplo, trechos que incluíam no rol de prioridades o Plano Nacional de Educação e a conclusão de obras inacabadas. Outro ponto barrado obrigava o governo a reduzir incentivos e benefícios tributários, financeiros e creditícios.

Embora muitos parlamentares tenham defendido uma meta maior para acomodar gastos antes das eleições de 2018, eles agora querem criar dificuldades para conseguir mais espaço no governo.

As informações são de reportagem de Daniel Carvalho, Bruno Boghossian e Marina Dias na Folha de S.Paulo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247