Moody's diz que aumento de déficit fiscal não altera nota do Brasil

Agência de classificação de risco Moody's informou que a revisão da meta de déficit primário para este ano não deve trazer um impacto para a avaliação de rating do Brasil; "A magnitude da revisão em 2017 não afeta materialmente nosso cenário-base", escreveu a analista sênior para ratings soberanos da Moody's, Samar Maziad; segundo a agência, as perspectivas para o crédito do Brasil no médio prazo serão impactados pelo resultado das reformas propostas, destacadamente a da Previdência

 Moody's Investor Service
 Moody's Investor Service (Foto: Paulo Emílio)

Reuters - A agência de classificação de risco Moody's informou nesta quarta-feira que a revisão da meta de déficit primário para este ano não deve trazer um impacto para a avaliação de rating do Brasil.

"A magnitude da revisão em 2017 não afeta materialmente nosso cenário-base", escreveu a analista sênior para ratings soberanos da Moody's, Samar Maziad.

No entanto, a Moody's apontou que uma trajetória mais lenta da consolidação fiscal para o país entre 2018 e 2020 "é um desdobramento negativo de crédito".

A agência informou ainda que as perspectivas para o crédito do Brasil no médio prazo serão impactados pelo resultado das reformas propostas, destacadamente a da Previdência.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Economia

Saque do FGTS deve ter limite de R$ 500

Pressionado pelo setor da construção civil, o governo Jair Bolsonaro estuda agora limitar os saques da liberação extra das contas do FGTS em R$ 500 neste ano; o valor máximo seria para contas...

Ao vivo na TV 247 Youtube 247